PM que baleou Borat de ‘Amor & Sexo’ invadiu casa, escondeu arma fria e mentiu para policiais

0
27


O PM que baleou o ator Bruno Soares Miranda, o Borat do programa “Amor & Sexo”, invadiu uma casa para fugir da cena do crime, tentou esconder a arma fria que estava portando e ainda mentiu para os policiais que foram ao local atender a ocorrência. É o que revelam os depoimentos à PM e à Polícia Civil dos dois agentes que prenderam em flagrante o sargento Fábio dos Santos Costa, lotado no 18º BPM (Jacarepaguá). Antes, Costa havia se envolvido num acidente de trânsito, brigou com um casal que o acusou de ser o responsável pelo acidente e errou o tiro: o PM tentou disparar no homem com quem discutia e acabou acertando Miranda, que passava pelo local e tentou ajudar no socorro às vítimas.

Miranda foi baleado no último dia 25, no Recreio, Zona Oeste do Rio, quando ia para academia. Os dois policiais que atenderam a ocorrência eram agentes do Recreio Presente e foram ao local averiguar uma denúncia de roubo a um supermercado. Quando chegaram, foram informados do acidente e do disparo. Testemunhas que passavam pelo local disseram que o autor havia entrado numa das casas da rua.

Borat falou com os fãs através das redes sociais nesta segunda-feira Foto: Reprodução – Instagram

Os agentes, então, entraram no imóvel e encontraram o PM no jardim. “Sou polícia!”, teria dito Costa quando foi abordado, segundo os depoimento da dupla que o prendeu. Em seguida, o sargento mentiu aos colegas: disse que tinha sido assaltado e agredido e que o ladrão havia fugido do local. Também alegou que não estava armado. Como, em seguida, o próprio Bruno Miranda — que apesar de baleado, ainda estava lúcido — reconheceu Costa como o atirador, os policiais voltaram a abordá-lo.

“Companheiro, cadê a arma? Todos estão dizendo que você estava armado sim, inclusive a pessoa que você atingiu te reconheceu”, disse um dos PMs ao colega de corporação. O sargento negou novamente que estivesse com uma arma. Após uma busca na casa, os agentes encontraram uma pistola 9mm com a numeração raspada no jardim. Costa levado à 16ª DP (Barra) e preso em flagrante por tentativa de homicídio e porte ilegal de arma.

Na delegacia, Costa optou por permanecer em silêncio. Antes de passar a portar uma arma fria, no entanto, o sargento havia reportado à PM o furto da pistola calibre 380 que tinha registrado em seu nome. Em julho do ano passado, Costa contou, em depoimento no batalhão de Jacarepaguá, que teve a arma furtada dentro do quartel. Ele alega que guardou a arma em seu armário no alojamento dos sargentos no início do plantão, e, quando voltou, se deparou com o compartimento aberto e vazio. A PM não conseguiu esclarecer o crime e arquivou o caso.

Já Bruno Miranda, após cinco dias na UTI do Hospital Municipal Lourenço Jorge, foi encaminhado para a enfermaria e seu estado de saúde é estável.



Fonte: Fonte: Jornal Extra