Léo Problema, principal rival de Orlando Curicica na Zona Oeste do Rio, é preso em casa de luxo na Baixada

0
150


Principal rival do paramilitar Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, que está preso em um presídio federal, o miliciano Leonardo Freitas Pacheco Silva, o Léo Problema, foi preso nesta quinta-feira, dia 8, por agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). O criminoso, de 33 anos, estava escondido em uma casa de luxo em Magé, na Baixada Fluminense, a mais de 70 quilômetros de onde ele tem o domínio — a comunidade da Covanca, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

Foragido da Justiça desde 2017, Léo Problema tinha cinco mandados de prisão pendentes pelos crimes de homicídio, sequestro e ocultação de cadáver. Segundo as investigações, a disputa entre Léo e Curicica teriam culminado nesses crimes.

A guerra entre os dois milicianos começou em 2015 quando Orlando Curicica teria matado, a tiros de fuzil na Taquara, o irmão de Léo Problema, Rafael Freitas Pacheco Silva, de 33 anos. Em 10 de novembro de 2015, dia do assassinato, Rafael estava com uma mulher em um Corola Prata passando pela Estrada da Boiuna, na Taquara, quando homens armados de fuzil interceptaram o veículo na altura do Residencial São Sebastião. Os criminosos dispararam contra Rafael, acertado por vários tiros. Em seguida os criminosos fugiram em um carro preto. A mulher que estava com ele foi ferida de raspão na mão e socorrida para a UPA do bairro.

De acordo com a polícia, Rafael tinha ligação com grupo paramilitares da Zona Oeste e também era desafeto de Orlando Curicica.

Cartaz do Portal dos Procurados pedindo informações sobre o paradeiro de Léo Problema Foto: Divulgação

Léo mantinha relações criminosas com o ex-policial militar Wiliame Jeferson Ferreira Biego, preso pela especializada em julho deste ano por envolvimento nas mortes de Renato Araújo Ignácio e Anderson de Souza Comper, em abril de 2016, segundo a Draco. Os dois foram assassinados por divergências com a milícia de Curicica, na época chefiada por Orlando Curicica, que atualmente está preso no Rio Grande do Norte.

Segundo o delegado William Medeiros Penna Júnior, titular da Draco, a prisão de Léo Problema tende a desarticular um dos principais braços da milícia que atua na Zona Oeste da cidade.

— A ascensão dele na milícia veio da guerra com o Orlando Curicica, após, supostamente, o Orlando ter assassinado o irmão do Léo Problema, na Taquara. A partir daí, ele ganha notoriedade na organização criminosa e passou a comandar algumas áreas da Zona Oeste. Atualmente, segundo dados de inteligência, ele estava comandando a região da Covanca. Lembrando que, essa área sempre é palco de disputa entre a milícia e uma facção do trágico de drogas que, inclusive, vitimou um policial militar na última guerra que ocorreu na região. A importância dessa prisão feita pela Draco ontem é que desarticula um dos bravos paramilitar.

No começo deste ano, o Portal dos Procurados chegou a divulgar um cartaz pedindo a população que denunciasse o paradeiro de Léo Problema. Na casa de luxo onde estava o criminoso, os investigadores encontraram uma pistola Glock, calibre 40. O imóvel onde estava conta com ampla área de lazer, piscina e churrasqueira. No local também foi apreendido um veículo blindado. Além dos crimes os quais é acusado, ele também vai responder por posse ilegal de arma de fogo.



Fonte: Fonte: Jornal Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui