Após confusão generalizada no Rio, jornalista, advogada e entregadores de pizza são agredidos por policiais, afirma OAB

0
12


RIO — Uma mulher, um jornalista e entregadores de pizza foram agredidos por policiais do programa Segurança Presente, nesta quinta-feira, dia 3, no Largo do Machado, Zona Sul do Rio. Segundo a OAB, a advogada Vanessa Lima interviu em uma prisão que considerou arbitrária, quando um policial deteu um entregador de comida por aplicativo. A instituição afirma que a mulher apresentou o documento de identificação da Ordem, mas teve suas credenciais arrancada da mão e pisoteada pelos agentes. Quatro pessoas envolvidas foram para a 9ªDP (Catete).

Investigação: Polícia abre inquérito para apurar desabamento de prédio em Rio das Pedras

De acordo com a OAB, a comissão de Direitos Humanos da instituição acompanha o caso de perto. Em seu relato, Vanessa conta que os agentes determinaram que uma mulher furasse a fila e pegasse a bicicleta na frente dos entregadores, o que gerou uma reação deles contra os policiais. A advogada, então, tentou meediar a situação e se apresentou como integrante da Comissão de Direitos Humanos da OABRJ. No entanto, os policiais teriam a agredido, arrancado o documento da mão de Vanessa e pisoteado na carteira.

No relato, um jornalista que se envolveu na confusão também foi agredido pelos agentes e também levado à delegacia, junto da advogada e dois entregadores.

Jornalista saiu da confusão com o rosto sangrando Foto: Reprodução

Segundo o presidente da OABRJ, Luciano Bandeira, as agressões físicas e verbais por parte dos policiais demonstra o despreparo dos profissionais e evidenciam um desrespeito ao Estado democrático.

Leia mais: Apartamentos irregulares continuam sendo oferecidos nas redes sociais

— Ao jogar a identidade de uma advogada no chão e agredí-la, o policial militar agride toda a entidade e ignora os seus deveres. Esse tipo de conduta é inadmissível e tem que ser severamente punida — afirma.

Advogada relata ter sido agredida pelos policiais, que arrancaram a carteira da OAB de sua mão e pisoteado no documento
Advogada relata ter sido agredida pelos policiais, que arrancaram a carteira da OAB de sua mão e pisoteado no documento Foto: Instagram / Reprodução

A Polícia Militar, por sua vez, apresentou outra versão do fato. Segundo relatou em nota a corporação, um casal procurou os policiais do Laranjeiras Presente no início da tarde alegando que foram impedidos por entregadores de delivery de pegar uma bicicleta de aplicativo no Largo do Machado.

Em busca de causas: Desabamento de edifício pode ter sido causado por construção irregular ou erro técnico, diz engenheiro

A equipe, continua a versão, foi até o local e verificou que os entregadores estavam ao lado das bicicletas esperando serem solicitados para entrega e não deixavam ninguém utilizar.

Foto mostra entregadores sentados nas bicicletas no posto do Largo do Machado
Foto mostra entregadores sentados nas bicicletas no posto do Largo do Machado Foto: Polícia Militar / Reprodução

“Os agentes solicitaram que os entregadores se afastassem e permitissem o uso público da bicicleta. Segundo os policiais, outros entregadores foram se aglomerando e iniciou um tumulto. Os policiais foram desacatados e agredidos pelos entregadores. Durante a confusão um agente se machucou durante uma queda e foi levado para o Hospital Miguel Couto. Três pessoas envolvidas diretamente na confusão foram levadas para a 9ªDP (Catete), para prestarem esclarecimentos. Os dois entregadores foram autuados por lesão corporal, dano a patrimônio público e resistência e responderão em liberdade”, completa o comunicado.

Para tentar reparar os danos aos entregadores de aplicativo, uma vaquinha foi criada com meta de R$ 2 mil reais. Até o momento, foi arrecadado R$ 1,3 mil.



Fonte: Fonte: Jornal Extra