Menino de 15 anos é morto durante ação policial em Itaboraí

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

“Ele era um menino que nunca tinha ido a um shopping. Nunca tinha andado de roda gigante, nunca foi ao cinema. Um menino bom e que morreu assim. A polícia não deixou nem os moradores socorrerem ele. Ficou agonizando até morrer”.

O relato foi de uma adolescente, amiga de Kauã Mendonça Ferreira, de 15 anos, que morreu após ser baleado durante uma operação da Polícia Militar, na Comunidade do Barreiro, no Jardim Imperial, em Itaboraí.

Um tio de Kauã também foi atingido por um tiro durante a ação, e está internado, em estado grave, no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat),  no Colubandê, em São Gonçalo.

De acordo com policiais militares do 35°BPM (Itaboraí), a operação foi desencadeada para reprimir a ação de traficantes da localidade, e que os dois feridos estavam na ‘boca de fumo’ e acabaram atingidos durante um confronto.

A população, no entanto, afirma que Kauã não tinha envolvimento com o crime e que estava voltando da escola no momento que foi atingido.

Ele estudava de manhã, mas ficava jogando bola e soltando cafifa com os amigos. Na hora, ele estava com a mochila com material escolar e tudo Vizinha da vítima

 

“Ele estudava de manhã, mas ficava jogando bola e soltando cafifa com os amigos. Na hora, ele estava com a mochila com material escolar e tudo. Só que contaram que quando ele passou, os meninos do movimento pediram água a ele. Ele pode ter ido levar a tal água e acabou sendo atingido lá. Não sei! O que sabemos é que ele não era bandido”, desabafou uma vizinha.

A morte de Kauã sensibilizou os amigos e os vizinhos, já que o menino não tinha mais a mãe viva, não convivia com o pai e nem tinha contato com muitos parentes.

“O que sabemos é que ele era criado pela bisavó. E esse tio ferido também ajudava na criação dele”.

Baleado

De acordo com relatos da PM, policiais e criminosos trocaram tiros na comunidade, no fim da tarde desta quarta-feira (03). Na ação, o tio de Kauã, um homem, de 25 anos, que terá o nome preservado, também foi baleado.

Segundo testemunhas, ele correu para socorrer o sobrinho quando foi atingido. Já a polícia afirma que ele estava no ponto de venda de drogas, junto com o menor, e com outros três suspeitos, que fugiram.

O homem foi socorrido para o Hospital de Itaboraí, e logo após, transferido para a unidade de São Gonçalo.

Já o menor, morreu no local. Ao lado dele, ainda segundo a polícia, foi encontrada uma pistola. Os moradores negam essa versão.

O mais triste foi que os moradores queriam socorrer ele. Pediram pra polícia socorrer, mas eles não deixaram. Kauã ficou agonizando até morrer no local Testemunha

 

Segundo a polícia, bombeiros foram ao local realizar o socorro dos feridos, mas o adolescente já estava sem vida.

Despedida

Amigos de Kauã fazem manifestação pedindo justiça |  Foto: Kiko Charret

 

Abalados, amigos de Kauã se reuniram na porta da escola, onde o menino cursava o nono ano. Eles estão buscando ajuda para enterrar o corpo jovem, que está no Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó, em São Gonçalo.

“Tiraram um pedaço da gente. Ele era nossa família. Menino bom, do bem. Agora nem grana para enterrar o garoto a gente tem”, finalizou André Victor Guimarães, de 18 anos.

Agentes da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) registraram o caso como morte decorrente a intervenção policial, conhecido como auto de resistência. O caso segue sendo investigado.

Fonte: O São Gonçalo