Neymar pode ser desfalque na Champions e preocupa PSG

6

A presença do atacante Neymar no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões contra o Borussia Dortmund, na próxima terça-feira (18), não está garantida, o que vem causando preocupação dentro do Paris Saint-Germain e nos torcedores.

Neymar sofreu uma lesão nas costas na vitória sobre o Montpellier por 5 a 0, no último dia 1º, e ainda atuou até o fim da partida. Desde então, tanto o clube quanto o entorno do jogador de 28 anos garantiram que a lesão não era grave e houve até especulações de que era uma desculpa para lhe permitir comemorar o aniversário, quatro dias depois.

Tudo parecia bem até o técnico Thomas Tuchel soar o alarme depois de outra goleada, sobre o Dijon por 6 a 1, nesta quarta (12), pelas quartas de final da Copa da França. “Temos que conversar, mas não posso garantir que ele jogará em Dortmund. O risco vai diminuir dia a dia”, afirmou o treinador alemão.

A declaração preocupa porque pode ser a terceira vez seguida que o jogador mais caro da história perde um jogo decisivo de Liga dos Campeões por lesão. E Tuchel deixou claro que o camisa 10 só estará em campo se estiver 100% fisicamente. “Não se pode brincar com a saúde dos jogadores”, destacou.

Uma fonte ligada a Neymar disse ao jornal francês L’Équipe que a lesão intercostal sofrida pelo atacante gera um pouco de dúvida sobre sua presença na Alemanha, mas que todos no entorno do atleta estão otimistas. Em todo caso, como quase tudo ao redor da estrela brasileira, o mistério gerou uma enorme preocupação.

A contusão, anunciada pelo clube em nota oficial, geralmente tem um período de recuperação de cerca de 8 dias. Neymar está fora de combate há 12 dias, número que chegará a 17 caso ele não entre em campo no Signal Iduna Park. Nesse período, ainda haverá no próximo sábado (15) o duelo com o Amiens, pelo Francês.

O craque contratado por 222 milhões de euros ficou fora nas duas eliminações do PSG na Liga dos Campeões desde a chegada ao clube, ambas nas oitavas de final, contra o Real Madrid, em 2018, e o Manchester United, em 2019. Há dois anos, até disputou a ida contra o time espanhol, o que não foi suficiente. Nos dois casos, o problema foi o quinto metatarso do pé direito.

Depois da novela do verão passado, quando manifestou o desejo de voltar ao Barcelona, Neymar permaneceu no PSG, que endureceu as negociações, e foi o jogador mais decisivo entre os comandados por Tuchel, com 14 gols e seis assistências.

*Com EFE


Fonte: Jovem Pan