Irmã diz que Maritza e Erick viviam na mesma casa, mas não eram um casal há mais de um ano

16

A irmã da escrivã de polícia, Maritza Guimarães de Souza, Carolina Machado, disse à Banda B que ela e o delegado Erick Busetti não viviam como um casal há mais de um ano. Maritza e a filha Ana Carolina de Souza, de 16 anos, foram mortas a tiros por Erick na noite da última quarta-feira (4), na casa da família, no bairro Atuba, em Curitiba.

“Ela me disse que os dois não dormiam no mesmo quarto há mais de um ano e que já estavam separados lidando com o processo para resolver tudo. Minha irmã não falou nada sobre brigas, não dava pra notar nada”, afirmou Carolina.

Maritza e Erick – Reprodução

A irmão falou à Banda B durante uma manifestação organizadas por amigos e familiares da escrivã, neste domingo (8), no centro de Curitiba. Eles foram fazer uma homenagem à mãe e filha e pedir justiça.

Segundo Carolina, que vive em Piraí do Sul, a 180 km de Curitiba, a irmã nunca falou nada sobre algum problema de Erick com a enteada. “Não dava pra dizer que ele tratava a Ana mal e a filha dele com a Maritza bem. A Ana também nunca reclamou dele pra nós”.

Ana Carolina foi morta a tiros – Reprodução

A irmã de Maritza disse ainda que Erick sempre foi uma pessoa calma, que passou as festas de fim de ano com a família, mas que era claro que o amor entre os dois havia acabado.

“Não existia mais amor ali. Ela nunca tinha reclamado de alguma agressão, só falou que queria seguir com a vida dela, separada. O que queremos agora é justiça para que casos assim sirvam de exemplo para que não ocorram mais. Se a pessoa não ama mais você tem que deixar livre. Ninguém é dono de ninguém”, completou Carolina.

O delegado Erick Busetti está preso no Complexo Médico Penal em Pinhais. Segundo o advogado dele, Cláudio Dalledone Júnior, ele está com depressão profunda. O inquérito deve ser concluído nos próximos dias pela Divisão de Homicídios e proteção à Pessoa.


Fonte: Banda B