Skinheads acusados de matar punk em Curitiba vão a júri na próxima 2ª

0
192



 

Cinco suspeitos foram identificados pela polícia com a ajuda de imagens de câmeras de segurança no local. Entre eles, dois menores, que foram julgados pela Vara de Adolescentes Infratores. O homem acusado de ter golpeado César com uma facada no pescoço, Waly Ibrahim, está foragido. Já Everton de Oliveira de Matos e Yngwie Hendrix Xavier Pereira, que respondem o processo em liberdade, serão julgados no dia 12 de agosto.

As investigações apontaram que César, que afirmava ser punk, teria sido atacado por um grupo de skinheads após um tumulto, na esquina das ruas Trajano Reis e Inácio Lustosa. Segundo o advogado da família de César, Edson Facchi Junior, imagens das câmeras mostraram que a vítima não foi agredida apenas por uma pessoa.

“Além das imagens, testemunhas dizem que todos investiram e encurralaram César, para que um deles desse a facada. Sobre o autor do golpe que tirou a vida dele, não há ninguém que de conta do paradeiro de Waly, nem o pai dele, que foi ouvido na delegacia, sabe alguma informação. O pai de César também tentou ajudar nas buscas”, explicou o advogado em entrevista à Banda B.

Expectativa

Ainda para Junior, a expectativa da família é de que a justiça seja feita. “Tendo em vista que eles concorreram diretamente para o crime, a esperança é de que eles sejam condenados pelo homicídio covarde que cometeram. Os pais de César estão nervosos. Esse é um momento muito tenso para eles, pois toca na ferida”, completou o advogado.

Linha do tempo

O Ministério Público do Paraná (MPPR) ofereceu denúncia contra os suspeitos em novembro de 2014, um ano e oito meses depois do crime. Em junho de 2017, a Justiça confirmou o julgamento dos réus, mas a defesa recorreu e uma nova decisão sobre o júri saiu em junho do ano passado. Neste ano, o júri foi marcado para agosto.