Principal suspeito de morte de comerciante na RMC pode estar envolvido em outro crime parecido

0
108


 

O suspeito foi preso em flagrante na noite desta quinta. Após o crime, equipes da Polícia Militar (PM) localizaram um veículo próximo a um ponto de tráfico de drogas. Dentro do carro, a PM localizou um carregador de pistola 9 mm e munições de calibre 380.

Segundo o delegado Tiago Dantas, da Delegacia de Almirante Tamandaré, o armamento e o veículo usados no crime de ontem, são os mesmo usados no crime de setembro. Além disso, os homicídios aconteceram da mesma forma. “Considerando que o veículo utilizado no crime de ontem foi usado em outro crime, o carro Bora preto, foi apreendido na posse do suspeito do crime de ontem”, disse o delegado.

Homicídio desta quinta-feira (17) está sendo investigado (Foto: Colaboração)

“No crime de setembro, a vítima estava em um estabelecimento comercial, quando duas pessoas desembarcaram do veículo e efetuaram vários disparos, inclusive, com o mesmo calibre. Os assassinatos aconteceram da mesma forma. Tudo indica que os crimes foram praticados pelas mesmas pessoas”, acrescentou Dantas.

No crime desta quinta, a vítima, identificada como Valdenir dos Santos, foi morta com tiros de pistola 9 mm. Bandidos encapuzados invadiram o estabelecimento e disparam, atingindo também uma mulher, que foi socorrida com ferimentos moderados ao Hospital do Trabalhador (HT).

Motivação

Segundo o delegado, é possível que os crimes sejam relacionados ao tráfico de drogas. “Entretanto, a Polícia investigará o caso para saber a motivação desses crimes”, completou.

De acordo com a PCPR, os suspeitos que foram detidos ontem já tinham passagens por tráfico de drogas.

Já no crime de setembro, em entrevista à Banda B no dia da ocorrência, o tenente Gumbuwske, da PM, afirmou que a vítima, identificada como Geovan Gonçalves de Jesus, de 30 anos, já possuía antecedentes criminais. “Ele tem passagem por roubo em 2018, mas não sabemos ainda o motivo do crime”, disse.

Os casos vão continuar sendo investigados pela PCPR.