Polícia encerra inquérito e diz que caminhoneiro assumiu risco de acidente que matou soldado da PM

0
79



Em entrevista à Banda B nesta quinta-feira (29), o delegado Amadeu Trevisan disse que, além de ingerir bebida alcoólica, ele estava na pista contrária e em velocidade excessiva. “O Joel Bin, conduzindo seu caminhão de forma negligente, de forma imprudente, avançou a pista em que o Lukas estava e acabou tirando a vida dele. Nós concluímos que o autor assumiu o risco de produzir aquele resultado”, explicou.

Trevisan cita como justificativa ainda a fuga de Bin, que não prestou socorro à vítima.

Lukas morreu após a moto em que estava ser atingido de frente pelo caminhão de Bin, na Alameda Arpo, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, no dia 13 de julho.

Júri popular

Se for denunciado por homicídio com dolo eventual, Lukas pode ser levado a júri popular.

Há cerca de um mês,o advogado da família, Jeffrey Chiquini, já dizia que o acesso aos elementos do inquérito indicam para o homicídio doloso. “O desejo é que a mesma lei que o soldado Brandt defendeu, venha a defendê-lo. O Joel assumiu o risco de causar a morte, já que além de embriagado, vinha conduzindo na pista contrária. Ele previu o resultado como possível e foi indiferente, assumindo o risco de atingir um veículo no sentido contrário, vindo a passar por cima do Rafael”, disse.