Perícia mostra fixação de homem identificado pela morte de Rachel por pornografia infantil

0
55



Chama a atenção o uso de várias palavras-chave relacionadas ao tema, tanto em português, quanto em inglês.

Na semana passada, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) revelou que Carlos Eduardo já está no mundo do crime desde 1985, sendo identificado por pelo menos outros quatro estupros contra crianças.

Caso Rachel

Onze anos após a morte da menina Rachel Genofre, Carlos Eduardo dos Santos foi identificado como responsável pela morte graças ao Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG).

Rachel foi encontrada morta no final da tarde do dia 3 de novembro de 2008, dentro de uma mala na Rodoferroviária de Curitiba.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (Sesp), o material genético encontrado na mala de Rachel é compatível ao de Carlos Eduardo, que já estava preso no estado de São Paulo desde 2016. Investigado por vários crimes, o suspeito morava a cerca de 700 metros de distância do Instituto de Educação, escola que Rachel estudava na época do crime.