Moradores do Peró querem que Prefeitura apresente cronograma de obras para o bairro

0
47


Representantes do bairro do Peró vão pedir uma audiência ao prefeito de Cabo Frio, Dr. Adriano Moreno, para que ele explique o cronograma do projeto Bandeira Azul para a Praia do Peró. O início da segunda fase das obras estava previsto para julho, mas foi adiado para depois do verão de 2020. Para discutir a questão, várias lideranças do bairro, ambientalistas e hoteleiros se reuniram nesta sexta-feira (02/08) no Hostel Container. Convidados, o prefeito e o secretário de Meio Ambiente, Mário Flávio Moreira, não compareceram. Com o adiamento, anunciado em nota oficial, a Prefeitura conseguiu postergar a conquista definitiva da Bandeira Azul para o Peró. Se o júri internacional aprovar, a bandeira será novamente hasteada em novembro, mas somente para a próxima temporada de verão.

Para ter o certificado de forma definitiva (com revisões anuais), será preciso cumprir as 34 exigências feitas pela Coordenação Nacional do Programa Bandeira Azul. “Nós temos o mais importante, que é a qualidade da água do mar, mas é necessário cumprir exigências importantes, como acessos e segurança. Nós da sociedade sequer temos conhecimento do projeto de urbanização da orla. Nem o Conselho Gestor foi ouvido sobre mudanças na coordenação e em relação ao cronograma”, lamentou Roberto Saci, do movimento Amigos do Peró (AP). No documento que será enviado ao prefeito, a comunidade vai lamentar a ausência dele e do seu representante no encontro para esclarecer “pontos obscuros” do projeto Bandeira Azul e cobrar um cronograma oficial. Os defensores do programa também querem saber o que será feito até novembro, quando novamente a bandeira será hasteada provisoriamente.

“Este projeto não é importante somente para o Peró, mas para Cabo Frio e para toda a Região dos Lagos. A sociedade civil tem muitas dúvidas, sobretudo em relação ao projeto executivo de revitalização da orla. Não é possível entender como o prefeito não comparece e nem envia representante num encontro tão importante, onde poderiam esclarecer as dúvidas que continuam pendentes. Vamos cobrar”, disse Leandro Sampaio, ex-prefeito de Petrópolis, que integra os AP. Coordenadora Nacional do programa Bandeira Azul, Leana Bernardi disse que foi procurada por Cabo Frio com o pedido para postergar as obras que estavam previstas para a Praia do Peró: “Este adiamento não vai afetar o hasteamento da Bandeira Azul, desde que o município garanta o cumprimento dos critérios, como foi feito na temporada passada. Na verdade, não é a Bandeira Azul que está sendo prorrogada, e sim as obras de melhoria na praia”, esclareceu.

Natálie Chagas, Chefe da Área de Proteção Ambiental do Pau-Brasil e represente de Marcelo Morel, Chefe do Parque Estadual da Costa do Sol (PECS), prometeu todo apoio às ações do programa Bandeira Azul e deu uma boa notícia: “Através de uma compensação ambiental, o INEA vai sinalizar e fazer o manejo das trilhas do Morro do Vigia e da Praia das Conchas, atendendo a uma antiga reivindicação da comunidade. Ações como esta e o projeto Bandeira Azul contribuem para fortalecer o meio ambiente e o turismo na nossa região”, disse.

Ângelo Dutra Pinto Corrêa, especialista em projetos e integrante do AP, disse que deixou pronto, no Conselho Gestor do Bandeira Azul de Cabo Frio, todo o esquema para que a sociedade civil pudesse acompanhar o cronograma do projeto. “É lamentável que o Conselho Gestor não tenha sido informado das mudanças, dos atrasos no cronograma. A existência deste conselho é um dos 34 requisitos do Bandeira Azul”, informou. Representante da Secretaria de Turismo de Búzios, Maria Lúcia participou da reunião. Ela informou que Búzios é candidata a ter duas praias com Bandeira Azul. Até o fechamento dessa matéria a Prefeitura de Cabo Frio não havia se pronunciado sobre as preocupações dos moradores e empresários do Peró.