Morador de São Pedro da Aldeia, pai de Anitta quer montar canal no YouTube

0
412


Há pouco mais de dois meses, desde que Anitta levou o pai Mauro Machado, de 55 anos, para uma viagem de férias a Bali, na Indonésia, a vida do vendedor ganhou contornos de celebridade. Bastou a cantora postar vídeos e fotos do pai em suas redes sociais. Dono de uma loja de baterias automotivas em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, ele conquistou parte dos fãs da filha e virou, oficialmente, o Painitto. O jeitão de pessoa comum, que fala o que pensa e que não se molda a estratégias de marketing, fez os internautas se encantarem por ele: já são mais de 600 mil seguidores no Instagram.

Aliás, o novo amor da Poderosa — eles anunciaram o namoro durante a viagem ao Sudeste Asiático, no início de junho —, foi e continua sendo um dos grandes entusiastas da carreira de blogueiro do sogrão. Em meio ao burburinho do romance, Mauro, que já era tratado pelos fãs da cantora como Painitto, registrou o apelido como seu arroba no Instagram, tornou a conta pública e viu o número de seguidores subir de 35 mil para 450 mil em menos de dois dias:

— Scooby é um cara muito bacana e se revelou um grande amigo. Às vezes, acho até que ele é mais careta do que eu. Nunca sonhei que um dia alguém fosse me pedir autorização para ficar com a minha filha. Ele me levou para um restaurante: nós dois, sozinhos. E pediu a mão da Larissa em namoro. Achei irado isso! Muito legal mesmo — relembra Painitto: — Foi muito inusitado o que ele fez. E respondi: “É claro que sim”. Se ele está a fim dela, se ela quer e eles se gostam, têm mais é que ficar juntos mesmo. As opiniões do papai não ficam apenas restritas à vida conjugal da cantora. Mauro admite que dá pitacos até sobre as roupas que ela veste.

— Esses dias, falei para ela que o look não estava legal. Disse mais ou menos o que cairia bem, e não é que a garota ficou ainda mais gata? Sou bom nisso. Tenho bom gosto — afirma Mauro, que costuma conversar muito com os filhos: — Às vezes, Larissa me liga de madrugada e diz que não está conseguindo dormir. Estou sempre ali para ouvir. O início do namoro com a mãe da cantora (Mirian Macedo) foi em Honório Gurgel, mesmo bairro em que os filhos cresceram: — Ela foi morar na minha rua. Nós nos conhecemos, e logo começou nossa relação. Eu tinha 15 anos, e ela 19.

De uma família com poucos recursos financeiros, Mauro diz que, se pudesse, até teria seguido a carreira artística ou nos esportes, mas a educação no Colégio Militar fez com que ele mudasse seus planos. — Meu pai tinha morrido, e meu irmão, que era militar, passou a ser meu tutor e me matriculou. Estudei lá oito anos e me formei. Não tive tempo para vislumbrar uma carreira. Naquela época, era difícil. Se fosse hoje, talvez eu teria pensado em ser ator ou atleta — acredita.

Toda a disciplina adquirida nos tempos de escola, Mauro diz ter passado para os filhos quando eles iam visitá-lo na Região dos Lagos: — Sempre exigi muito isso dos meus filhos. De Renan, um pouco mais. Já Larissa, feliz ou infelizmente, era um pouco mais arredia. Gostava de dormir. Ela diz que não, mas eu dava uma mordomiazinha. Lembro uma vez que ela apareceu com o cabelo rosa na minha casa. Naquele dia, fiquei chateado. Não achava legal, ela estudava na Faetec. Então, peguei R$ 50 e mandei ela pintar o cabelo. Ela reclamou, e eu ameacei cortar tudo. No fim, ela pintou.

— Vejo mensagens no Instagram dizendo que abandonei meus filhos, e não é verdade. Quando me separei, isso fez com que eu fosse dez vezes mais presente na vida deles. Meu emprego me fazia viajar muito, mas às sextas-feiras eu já me programava para buscá-los. E fiquei mais participativo na criação dos dois. Toda a disciplina adquirida nos tempos de escola, Mauro diz ter passado para os filhos quando eles iam visitá-lo na Região dos Lagos Toda a disciplina adquirida nos tempos de escola, Mauro diz ter passado para os filhos quando eles iam visitá-lo na Região dos Lagos. Esse contato próximo com Renan e Anitta, segundo Mauro, os influenciou muito em suas carreiras.

— Na minha concepção, minha filha é uma grande vendedora, assim com eu. Claro que ela canta muito bem, mas ela faz propaganda, vende muita coisa pelas redes sociais — analisa ele, acrescentando: — Sempre fui muito competitivo e quis ser o primeiro em tudo. Nisso, ela também me puxou. Praticante do candomblé, Mauro é babalorixá e diz que sempre cuidou pessoalmente da vida espiritual dos filhos. E não se gaba de ter dado força no início da carreira de Anitta.

— Investi na minha filha em orientação de vida e proteção religiosa. Agora, em coisas de família, eu não fico fazendo conta. Algo que ficou marcante no início da carreira dela foi eu ter dado o meu carrinho para ela e Renan (braço direito de Anitta profissionalmente) para eles fazerem os shows. Lá no começo, ela ganhava cerca de R$ 150 por apresentação. Se tivesse que alugar um carro, ficaria muito mais caro. E isso fez com que ela conseguisse juntar um dinheiro. Sou como ela, invisto no que estou fazendo — relembra Painitto, que há três anos, no Dia dos Pais, foi presenteado pela filha com um carrão de um dos seus patrocinadores: — Foi emocionante. Ela sabe que eu amo carros!

— Muita gente me pergunta se isso é de Deus. Eu acho graça, mas é a falta de conhecimento. Planejo fazer um canal no YouTube para falar mais sobre esse tema que eu domino muito bem. O bacana é que tenho feito o meu público. Quem me segue quer saber sobre mim, não sobre a minha filha.