Governo Adriano Moreno não cumpre o calendário de pagamentos que anunciou

0
94


Os professores da rede municipal de Cabo Frio resolveram manter a greve por tempo indeterminado depois que o governo, mais uma vez, deixou de cumprir a promessa de realizar o pagamento dos salários do mês de julho. Dessa vez com um agravante: nem mesmo o calendário anunciado pela própria Prefeitura, de pagar os salários dos profissionais contratados na segunda-feira (12/08) e os aposentados na quarta-feira (14/08). Nem uma coisa, nem a outra aconteceu. E para piorar a Secretaria de Fazenda anunciou que depende da entrada de recursos dos royalties para pagar os salários.

O secretário de Fazenda de Cabo Frio, Clésio Guimarães Faria, disse que o pagamento dos salários de julho de aposentados, pensionistas e contratados depende da entrada parcela trimestral dos royalties, que será de cerca de R$ 9,3. O secretário espera que o repasse feito pelo Tesouro Nacional esteja na conta da prefeitura o quanto antes para que o depósito na conta dos servidores ativos e inativos seja feito, para que os trabalhadores não passem o feriado municipal da Padroeira sem dinheiro, mas isso só para uma pequena parcela, já que ninguém acredita que a Prefeitura conseguirá quitar todos os salários nessa semana.

Por pior que possa parecer, a desorganização das finanças do município de Cabo Frio chegou ao extremo da falta de controle e agora os “técnicos” do governo do Dr. Adriano Moreno “esperam por milagre” do dinheiro cair na conta. Em um ano inteiro de trabalho, não conseguiram organizar sequer o pagamento da folha dos servidores. E as desculpas são sempre as mesmas: a crise, a queda de arrecadação, os precatórios, os arestos. “A categoria está muito indignada. Inclusive, alguns contratados que não tinham aderido à greve, decidiram, diante desse descumprimento do calendário, pararem as atividades. Porque é uma quebra de palavra do governo, que garantiu o pagamento, divulgou o calendário, tanto na sua página oficial, como em documento para os sindicatos”, afirmou a coordenadora do SEPE Lagos, Cintia Pereira.

Os servidores da Educação estão em greve desde o último dia 8, uma vez que apenas os servidores concursados receberam os salários de julho, até o momento.