Curitiba registra dois novos casos de assédio dentro de ônibus; já são 57 ocorrências este ano

0
97


Pouco antes das 18h, uma equipe de guardas do núcleo Boqueirão foi acionada pelo Centro de Operações da Defesa Social (Cods) para atender uma vítima que estava na linha Inter 2. O ônibus parou no terminal do Hauer para a abordagem ao suspeito, de 55 anos.

De acordo com o guarda municipal (GM) Couto, o suspeito foi detido pelos próprios passageiros do ônibus. “No interior do interbairros 2, linha Capão Raso – Vila Hauer, estava um elemento que foi detido pela população por perturbação sexual a uma usuária do transporte público. A equipe chegou no local e realizou a detenção do suspeito, que foi encaminhado junto com a vítima e testemunhas do ocorrido para a Central de Flagrantes”, relatou o GM.

A outra situação foi atendida no início da manhã desta terça. Uma equipe do núcleo Santa Felicidade da Guarda Municipal foi até o Terminal Campina do Siqueira após o recebimento de denúncia.

Segundo relato da vítima, de 22 anos, a importunação sexual teria ocorrido também dentro de um ônibus da linha Inter 2. O suspeito, de 34 anos, foi levado à Delegacia da Mulher para os encaminhamentos necessários.

Denúncia pode ser feita por testemunhas

Há um ano, a punição por importunação sexual se tornou mais rigorosa, após mudança em lei federal que trata do tema. Até então, a prática era considerada contravenção. A partir de outubro de 2018, virou crime com pena de até cinco anos de prisão.

Qualquer pessoa que testemunhe uma situação de assédio sexual dentro do ônibus pode acionar a Guarda Municipal pelo telefone de emergência 153.

“A gente pede que a população esteja esperta e que denuncie se presenciar alguma situação dentro do ônibus ou em qualquer outro lugar. Ligue 153 e a GM vai atender com certeza”, afirma Couto.

É importante que a comunicação do caso às autoridades seja feita o quanto antes, para que haja tempo de se fazer a abordagem antes que o suspeito desembarque do ônibus.