Corinthians repudia ação da PM contra manifesto de torcedor a Bolsonaro

0
82



O Corinthians se posicionou nesta terça-feira (6) contra o ato da PM (Polícia Militar), que retirou um torcedor da arquibancada da Arena Corinthians, no clássico diante do Palmeiras, por ter protestado contra Jair Bolsonaro, presidente da República.

Em comunicado oficial, o Timão afirmou que é a favor do direito constitucional de livre manifestação e repudiou o ato.

“A Arena e o Sport Club Corinthians Paulista vêm a público repudiar o episódio que resultou na detenção do torcedor Rogério Lemes Coelho durante o jogo ocorrido no último domingo (04) contra o Palmeiras na Arena Corinthians, após sua manifestação contra o Presidente da República. O clube historicamente reitera seu compromisso com a democracia e a defesa do direito constitucional de livre manifestação, desde que observados os princípios da civilidade e da não violência”, escreveu o Corinthians.

“A agremiação lembra que diferentes autoridades, entre elas o presidente do clube, já foram alvo de manifestações da torcida durante os mais variados eventos esportivos realizados no local e o episódio caracteriza-se como um grave atentado às liberdades individuais no Estado Democrático de Direito”, completou.

Rogério Lemes Coelho alegou ter recebido um “Mata leão” de um policial antes de ter sido levado para um posto da PM.

Outro lado

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) paulista disse que “polícias de São Paulo são instrumentos do Estado Democrático de Direito e não pautam suas ações por orientações políticas”.

A SSP informou que ação da polícia no caso ocorreu para preservar a integridade física do torcedor”, já que a atitude dele teria causado “animosidade com outros torcedores, com potencial de gerar tumulto e violência generalizada”.