Após aprovação da Previdência, dólar cai ao menor nível em dois meses

0
51


O dólar entrou no segundo dia de queda firme frente o real e derrubou o câmbio ao menor nível em dois meses, desde 21 de agosto. No final do pregão desta quarta-feira (23), o dólar era cotado aos R$ 4,0328, uma queda de 1,05%.

A aprovação da reforma da Previdência no Senado alimentou o otimismo do mercado e renovou as expectativas de que novos recursos estrangeiros comecem a entrar no País, destacadamente com o leilão do excedente da cessão onerosa, marcado para 6 de novembro.

Somente nos três primeiros dias dessa semana, o otimismo garantiu uma queda de 2,08% do dólar frente ao real. Na mínima da semana, marcada nesta quarta, chegou a tocar os R$ 4,0296, bem distantes dos R$ 4,12 da abertura da semana.

Os analistas apontam que os investidores começam a se programar para a entrada de um volume maciço de dólares no País com o leilão do excedente dos barris da cessão onerosa. Além disso, há uma expectativa de que, pós-reforma da Previdência, o apetite pelo Brasil aumente e o programa de concessões e privatizações ambicioso do governo traga o investidor estrangeiro.

Lá fora, após um dia de quedas quase generalizadas na terça, o dólar teve sinal misto ante emergentes: caía ante México e Turquia e subia frente a Chile, África do Sul e Argentina. Ditam o humor internacional nos últimos dias as notícias sobre o acordo entre China e Estados Unidos e sobre o fim que levará a saída do Reino Unido da União Europeia.

*Com Estadão Conteúdo