Usuário de drogas é encontrado esfaqueado no Cajuru

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Daniele Cristina não sabe mais o que fazer para tirar o filho Rafael Rogério, de 20 anos, do mundo das drogas. Na tarde desta quarta-feira (11), o jovem chegou em casa, no bairro Cajuru, em Curitiba, cheio de sangue após ser esfaqueado.

“As drogas estão arrastando e acabando com muitas vidas. Infelizmente o meu filho hoje foi atingido, mas espero que ele fique bem. Isso foi um aviso para ele sair desse mundo”, disse a mãe para a reportagem da Banda B.

Foto: Marcelo Borges – Banda B

Com vários cortes pelo corpo, o rapaz precisou de atendimento do SIATE (Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência). De acordo com o sargento Batista, do Corpo de Bombeiros, Rafael sabe quem foi o autor das facadas, mas não quis revelar.

“Segundo ele, foi agredido por um pessoal. Ele conhece quem foi, mas não quis falar para polícia quem é. Essa agressão não foi aqui no local, ele veio perambulando até aqui. Está consciente e orientado”, afirmou.

Pais de Rafael venceram as drogas

Os pais de Rafael conseguiram vencer as drogas, mas agora enfrentam o mesmo drama com o filho. A Daniele foi viciada em crack durante sete anos, enquanto o marido usou o entorpecente por 20 anos. Há cinco anos eles decidiram abandonar o vício e encontraram na igreja a ajuda.

“Eu era usuária de crack, faz cinco anos que eu estou liberta. Jesus me libertou e tem o caminho, se pessoa querer e ficar firme, Deus liberta, é só querer”, contou.

A mãe diz que já fez de tudo para ajudar o filho. Segundo ela, o jovem trabalha, mas é usuário de drogas.

“Eu encontrei ele hoje na biqueira e eu falei: filho, você não quis ficar na casa de recuperação e está aqui agora assim. Esse mês eu internei ele duas vezes e ele saiu. Eu nunca vou desistir dele, mas ele precisa querer. Ele é um menino trabalhador, mas se envolveu com a droga”, relatou emocionada.

Depois de se libertar do mundo das drogas, Daniele só deseja que o filho também consiga a recuperação.

“Eu sei que é difícil largar, mas a pessoa tem que querer. E a partir desse momento, as portas se abrem na vida dela, porque Deus coloca pessoas na vida e ela muda de vida. Hoje em dia falta apenas eu ver o meu filho bem”, destacou.





Fonte: Banda B