Ucraniana esfaqueada entrou em luta corporal e rasgou short de ladrão, que fugiu de cueca

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Assaltada na noite da última quinta-feira, no Aterro do Flamengo, na Zona Sul do Rio, a ucraniana Yulya Golovko, de 26 anos, chegou a entrar em luta corporal com o ladrão. Atacada a facadas e ferida nos braços e na região da nuca, ela se engalfinhou com o criminoso, em uma briga que foi parar na pista de rolamento dos carros. Com o short rasgado pela jovem, o bandido fugiu em seguida, apenas de cueca, com a mochila que conseguiu tomar da vítima. A Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat) ainda faz buscas e diligências para tentar identificar e capturar o assaltante.

Despedida: Corpo de policial civil morto por militares da Marinha é enterrado na Zona Oeste; Prefeitura fecha ferro-velho

Veja imagens: Vídeo exibe momento em que policial civil morto por militares da Marinha é colocado em van

No momento em que foi abordada, Yulya passeava de bicicleta com o namorado, Kostiantyn Miska, de 33 anos, também ucraniano. Os dois alugaram o equipamento no Aeroporto Santos Dumont e seguiam em direção à Zona Sul. O ataque aconteceu na altura do Instituto Fernandes Figueira, próximo ao Momumento a Estácio de Sá. Kostiantyn, que pedalava um pouco à frente da companheira, sequer pôde reagir ou acompanhar a cena, que durou poucos segundos. Quando ele se virou, o ladrão já havia partido em disparada, e Yulya estava caída ao chão, ferida.

O ucraniano buscou socorro, que foi prestado por policiais militares do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur). Yulya foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Copacabana e, em seguida, transferida para o Hospital municipal Miguel Couto, no Leblon, de onde teve alta no dia seguinte. Apesar de esfaqueada várias vezes, especialmente no braço, as perfurações não atingiram órgãos vitais nem geraram lesões mais graves. A jovem, porém, permanece assustada, e pouco deixou o apartamento alugado em Copacabana desde o episódio.

O ucraniano Kostiantyn Miska tem 33 anos Foto: Reprodução

Caso Kathlen: ‘A defesa está tentando nos deslegitimar’, diz mãe da jovem, após adiamento de audiência

Apesar do enorme susto, o casal mantém o desejo de fazer turismo na cidade — querem ir ao Cristo Redentor, ao Pão de Açúcar e a um jogo do Flamengo. Eles chegaram há cerca de 15 dias, após passarem um mês na Colômbia. Os dois deixaram Kiev, a capital ucraniana,semanas antes da invasão do país pela Rússia, que deu início a um conflito sangrento. Nos planos, após a estadia no Rio, estava também uma viagem para Buenos Aires, na Argentina, que agora depende, entre outros fatores, da recuperação plena de Yulya.

Os ucranianos são designers — ela de produtos, ele de interiores. Kostiantyn é dono de uma empresa especializada em reforma de cozinhas sediada em Nova York, nos Estados Unidos. Além disso, os dois também trabalham com programação de dados, atividade que ambos vêm exercendo durante o passeio pela América do Sul. Ao mesmo tempo, o casal, cujos pais ainda estão em Kiev, também convocou, pelas redes sociais, ajuda para os compatriotas em guerra.

Dois feridos: ‘Muita covardia’, diz testemunha sobre agressão a torcedores no ramal Japeri

Yulya organizou até mesmo uma campanha que arrecadou fundos para a compra de equipamentos para os combatentes que estão enfrentando os soldados russos. Entre os utensílios adquiridos e remetidos à Ucrânia com o dinheiro da “vaquinha”, centralizada em uma conta da própria jovem, que publicou os dados bancários no Instagram, estão luvas, capas, binóculos, facas e termovisores, entre diversos outros materiais.

Os passaportes do casal foram recuperados
Os passaportes do casal foram recuperados Foto: Reprodução

— É muito triste uma pessoa ser agredida assim, ainda mais sabendo a situação pela qual está passando o país deles. Mas pelos contatos que tivemos pude perceber que ela é uma jovem muito forte, muito corajosa. É admirável — narra a delegada Patrícia da Costa Araújo de Alemany, titular da Deat, que está à frente das investigações: — Buscamos câmeras de prédios no entorno, do comércio, da prefeitura. Estamos trabalhando sem parar para identificar esse suspeito, e assim o faremos, assim como também estamos dando todo o suporte possível às vítimas.

Impacto da violência: Semana de tiroteios causa fechamentos de escolas e deixam milhares de alunos sem aulas no Rio

A Embaixada da Ucrânia também vem acompanhando o caso, oferecendo apoio ao casal de ucranianos. Os dois chegaram a ter os passaportes levados pelo assaltante, já que os documentos estavam dentro da mochila tomada, mas a identificação acabou sendo encontrada a pouco mais de um quilômetro do local do crime. Um computador de ponta que também foi roubado, porém, não pôde ser recuperado até o momento.

A Polícia Militar informou que agentes do BPTur chegaram a realizar rondas na região para tentar capturar possíveis envolvidos com o ataque, mas ninguém foi encontrado. Ainda de acordo com a PM, o patrulhamento nas redondezas do Aterro do Flamengo foi reforçado.



Fonte: Fonte: Jornal Extra