Tráfico pode estar por trás de sequestro de líder comunitário na Zona Oeste do Rio

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


A Polícia Civil investiga se o sequestro do líder comunitário Andrey de Souza Araújo, de 29 anos, retirado de casa e levado por homens armados, na noite do último dia 28 de abril, na Vila Kennedy, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, tem alguma relação com o assassinato de um homem conhecido como Leonardo Shrek, executado a tiros, pouco mais de um mês antes, dentro da mesma comunidade. Segundo investigações da 34ªDP (Bangu), Andrey e Shrek tinham ligações com a Associação de Moradores da Vila Kennedy.

Andrey foi levado por homens armados e está desaparecido Foto: reprodução/redes sociais

Além disto, os dois eram compadres e chegaram a ser sócios de um comércio. Desde que foi sequestrado, o líder comunitário encontra-se desaparecido. Uma das linhas seguidas pela polícia é a de que o tráfico de drogas esteja por trás da execução de Shrek e do sequestro do líder comunitário. A motivação para os dois crimes ainda é desconhecida.

Andreu durante trabalho na Vila Kennedy
Andreu durante trabalho na Vila Kennedy Foto: reprodução/redes sociais

Muito atuante nas redes sociais, Andrey também ocupava o cargo comissionado de agente administrativo na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e costumava receber políticos que visitavam ou traziam obras para a Vila Kennedy. Andrey não é lotado em nenhum gabinete parlamentar e estava nomeado em um setor administrativo da Alerj, desde fevereiro último. Na noite do dia 28 de abril, homens armados em um carro não identificado invadiram a casa de Andrey, numa rua que dá acesso à Vila Kennedy. Eles disseram ser policiais e afirmaram que estavam ali para cumprir um suposto mandado de prisão. Andrey Araújo foi colocado no interior do veículo que deixou local em seguida.

Logo após o sequestro, parentes chegaram a procurar pelo líder comunitário em delegacias, hospitais e até no Instituto Médico-Legal, sem obter sucesso. A delegada Daniela dos Santos Rebelo Pinto, da 34ªDP( Bangu), confirmou que o caso está sendo investigado pela delegacia.

— Acreditamos que o caso esteja relacionado de alguma forma com a morte de Leonardo Shrek, já que este foi morto por homens que também diziam ser policiais . Ele e o Andrey são compadres e chegaram a ser sócios em um comércio. Investigamos várias possibilidades, mas não acreditamos em crime político. Também investigamos se o tráfico está ligado de alguma maneira ao sequestro — disse a delegada.

O líder comunitário é descrito pela família como uma pessoa calma e que não tinha inimigos.

— Ele é uma pessoa calma que nunca sequer discutiu com alguém. Não sei porque fizeram isso. Estamos surpresos com o que aconteceu, já que ele não tinha inimigos — disse um parente de Andrey.

Atualmente a morte de Shrek, ocorrida no dia 11 de março, é investigada pela Delegacia de Homicídios da Capital.



Fonte: Fonte: Jornal Extra