Testemunha diz que ouviu empresário que matou idosa atropelada admitir que havia bebido vinho

0
14


O empresário que atropelou e matou a idosa Helenita Pereira de Jesus, de 70 anos, no bairro Campina do Siqueira, em Curitiba, pode pegar até cinco anos de prisão por homicídio culposo. A informação é do delegado responsável pelo caso, Edgar Santana, da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran). O motorista Cristiano Luiz Mocellin é sócio de uma churrascaria no Batel e dirigia uma Land Rover Discovery no momento do acidente. Em depoimento, uma testemunha afirmou à Polícia Civil que o motorista admitiu no local que havia bebido uma garrafa de vinho.

Foto: Eliandro Santana – Banda B

“O inquérito policial foi devidamente instaurado, a Polícia Civil já realizou a oitiva de sete pessoas. Inclusive, já tivemos êxito em localizar testemunhas que chegaram no local do fato logo após o atropelamento, bem como visualizaram minutos depois o condutor do veículo retornando de marcha ré. Não foi possível verificar se o motorista estava com sinais de embriaguez, no entanto, há uma testemunha que afirma que presenciou o momento em que o motorista admitiu para uma terceira pessoa que havia consumido uma garrafa de vinho”, disse o delegado Edgar Santana.

No dia do acidente, Mocellin se recusou a fazer o teste do bafômetro. Como não dava sinais claros de embriaguez, acabou liberado pela polícia.

Segundo a Polícia Civil, várias testemunhas já foram ouvidas. O delegado Edgar Santana, porém, afirma que ainda procura o motociclista que teria conduzido o motorista até o local do acidente. Câmeras de segurança mostram que a Land Rover chega a deixar o local do acidente, mas retorna de ré logo em seguida.

De acordo com o delegado, as imagens já estão sendo periciadas. “As imagens obtidas pela Polícia Civil de antes e depois do atropelamento foram arremetidas pelo Instituto de Criminalística para que em conjunto com os demais laudos estabeleça a dinâmica do acidente e a velocidade que o veículo se encontrava”, disse. “As diligências continuam, vamos proceder nos próximos dias a oitiva de mais algumas testemunhas. Estamos com dificuldade de encontrar o motociclista que fez a abordagem do condutor do veículo. Caso ele tome conhecimento desta matéria, que ele compareça a nossa unidade policial para prestar os devidos esclarecimentos”, completou.

Confira o momento do acidente:

 

 

A investigação agora quer saber se houve negligência por parte de Luiz Mocelin. “A Polícia Civil vai aguardar a elaboração dos laudos periciais que são provas técnicas fundamentais para a elucidação do fato e em conjunto com as demais provas produzidas vamos poder definir se houve negligência por parte do condutor. Em caso positivo, ele vai responder por homicídio culposo, por ter se afastado do local de acidente cuja a pena pode ser de até 5 anos de prisão”, explicou Santana.

 



Fonte: Banda B