Técnica de enfermagem encontrada morta na RMC foi estrangulada, aponta laudo

0
9


A técnica de enfermagem, de 22 anos, encontrada morta em um condomínio de Pinhas, na Região Metropolitana de Curitiba, no dia 3 de outubro, foi estrangulada, segundo o laudo médico do IML (Instituto Médico Legal). O ex-namorado de Letícia Stéfani Inácio confessou o crime e está preso desde o dia 4 deste mês.

“Segundo o laudo da necropsia, que já foi juntado ao inquérito, a causa da morte foi asfixia mecânica por estrangulamento”, disse o delegado Paulo Renato Caldas, da Delegacia de Polícia Civil de Pinhais.

Foto: Reprodução

Letícia, conforme noticiou a Banda B, tinha uma medida protetiva contra o ex-namorado. Em depoimento, Pedro Henrique Souza de Oliveira, de 24 anos, afirmou que foi agredido e disse ter se arrependido do crime.

Ele foi preso em flagrante na casa dos pais, também em Pinhais. Policiais teriam percebido que o suspeito estava com lesões no rosto e no pescoço durante a prisão.

Ao confessar o crime, Oliveira alegou que a motivação foi ciúmes, além de ter afirmado que o namoro com a técnica de enfermagem havia chegado ao fim duas semanas antes do crime. Segundo relatou à polícia, uma foto de Letícia com amigos desencadeou os ciúmes.

Desaparecimento e morte

A jovem Letícia Stéfani Inácio, de 22 anos, foi dada como desaparecida em 1º de outubro, após ter pedido e concluído uma corrida de aplicativo. À Banda B, a mãe da técnica, Jozaine Inácio, disse que a filha se encontrou com amigos em um bar naquela noite. Em seguida, a jovem teria ido para a casa de um amigo, no bairro Cajuru, em Curitiba.

“Das 3 às 6 horas ela ficou nessa casa. Às 6h30, ela pegou o carro de aplicativo e voltou até o nosso endereço”, disse a mãe se referindo à casa da família. “Esse processo não deu nem 10 minutos, foram oito minutos, no caso. É perto de casa. Daí, a gente entrou no aplicativo e estava escrito que a corrida estava concluída”, disse a mãe.

Corpo de técnica de enfermagem foi encontrado embaixo de uma escada – Foto: Djalma Malaquias/Banda B

Apesar de ter concluído a corrida, a vítima não entrou em casa, e não deu mais notícias, segundo a mãe.

Dois dias após o desaparecimento, Letícia foi encontrada morta no condomínio onde morava com a família. O corpo da técnica de enfermagem, que foi encontrado por um morador, estava embaixo de uma escada no térreo do edifício, no bairro Weissópolis.

O vizinho da família dela seguiu o rastro de manchas de sangue e se deparou com o corpo da estudante.

“Eu estava com meus cunhados. Então, vimos o sangue e resolvemos olhar melhor porque já estávamos sabendo da situação. Foi quando a gente viu o corpo embaixo da escada e a reconheceu”, explicou o homem, que não quis ser identificado. “Dá a impressão de que ela foi arrastada. Também há sangue no corrimão e acredito que foi ‘passado pano’ para esconder algo”, continuou.





Fonte: Banda B