Suspeito de ter assassinado menino de 11 anos na RMC é preso e nega crime

14

O principal suspeito de ter matado a tiros o garoto Matheus Kinap, de apenas 11 anos, em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, foi preso pela Polícia Civil, em uma ação conjunta com a Polícia Civil de São Paulo. O suspeito de 29 anos estava na cidade de Monte Mor e foi preso na noite de sexta-feira (26). Ele nega que tenha cometido o crime e que tenha desavença com o tio da criança – alvo dos disparos.

 

Suspeito preso nega autoria do crime. Foto: Banda B

 

O delegado Thiago Dantas, que comanda as investigações, disse que ouviu o suspeito na manhã de hoje e que, embora não confirme a autoria, há indícios da participação dele no crime. “Ele alega que estava em São Paulo trabalhando e que não estaria aqui no Estado, que se mudou para lá há onze meses e não teria retornado. No entanto, o tio do Matheus apontou de forma veemente que ele seria o executor. Há indícios de que ele esteve aqui, por meio de investigações, que vão continuar. Temos outros elementos investigativos para colher sobre isso”, detalhou.

O preso diz desconhecer que tenha desavença com o tio da criança e o delegado fala em ‘história mal contada’. “Ele alegou que não teria nenhuma desavença com Maurício, tio de Matheus. Mas ele é enfático, que havia algo pretérito entre os dois e a motivação do crime seria essa desavença. Um diz que tem, outro diz que não, a história ainda está mal contada, por isso as investigações continuam”, completa o delegado.

As investigações apontam que esse suspeito morou no município de Almirante Tamandaré, tinha envolvimento com tráfico de drogas e conhecia a família do garoto.

Novas imagens de câmeras de segurança serão analisadas, bem como depoimento do dono da motocicleta que teria sido usada no crime.

 

Matheus foi morto por três disparos de arma de fogo na cabeça. Foto: Reprodução

 

Crime

O garoto foi morto a tiros na cabeça no último dia 20, na Avenida São Jorge, no Parque São Jorge, ao lado do tio – alvo dos disparos. Testemunhas alegaram que o tio do garoto correu, assim que notou a aproximação do criminoso, deixando o sobrinho no local. No entanto, ele se defende alegando que correu para pedir ajuda ao ver o sobrinho baleado.

 

Notícias relacionadas:


Fonte: Banda B