Suspeito de receptar R$ 300 mil em joias roubadas é preso na Zona Sul do Rio

0
5


os três anos, atuando na Região Oceânica de Niterói, Na Região Serrana do Rio e também em Belo Horizonte.Investigado por suspeita de receptar R$ 300 mil em joias roubadas de uma quadrilha especializada em assaltar mansões de luxo, na Região Serrana do Rio, em Niterói, e também em Minas Gerais, o comerciante Cícero Januário da Silva, de 62 anos, o Cícero do Ouro, foi preso nesta quinta-feira, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Ele estava com uma espingarda e 20 balas de diversos calibres. Segundo o delegado João Valentim, titular da 105ª DP(Petrópolis), Cícero do Ouro foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma e associação criminosa armada.

Material apreendido com quadrilha presa no último dia 17 Foto: Reprodução

A prisão foi feita por policiais que cumpriam dez mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça . Entre os alvos dos mandados estavam pontos que comercializam ouro, localizados em salas comerciais do Centro do Rio, e imóveis em endereços nobres como os Bairros de Copacabana e Leblon, na Zona Sul. Cícero foi preso em casa. Segundo a polícia, ele é suspeito de ligação com três homens da quadrilha, que foram detidos no último dia 17, pouco antes de executar um roubo em Itaipava, em Petrópolis.

—Ele (Cícero) estava associado aos assaltantes presos, no último dia 17. É suspeito de de receptar joias roubadas da organização criminosa . Dados colhidos na investigação indicam essa receptação— disse o delegado João Valentim.

Três homens foram presos quando se preparavam para assaltar uma mansão
Três homens foram presos quando se preparavam para assaltar uma mansão Foto: Reprodução

Segundo a polícia, Cícero é apontado como sendo um dos principais receptadores de joias de alto padrão que seriam comercializadas ilegalmente no Centro do Rio. Num dos casos investigados, ele é suspeito de ser o responsável por receptar joias roubadas de uma mansão, em Itaipava, que foi assaltada pela quadrilha, no dia 28 de janeiro último. Na ocasião, os assaltantes fizeram um casal refém e fugiram levando R$ 300 mil em joias.

A quadrilha começou a ser desmantelada quando Gilberto da Silva Lima, Juliano Braga Cardoso e Anderson de Oliveira Cardoso foram presos, no dia 17 de março, quando se preparavam para assaltar uma mansão. Com eles a polícia apreendeu três revolveres , toucas ninjas, luvas, usadas pelos assaltantes para evitar deixar impressões digitais, alicates e um Gol preto.

Em decorrência do cruzamento de dados, segundo a polícia, os investigadores descobriram que, entre o segundo semestre do ano de 2020 e primeiro trimestre de 2021, o grupo praticou cinco roubos, dois destes em Itaipava e três na Região Oceânica de Niterói, gerando um prejuízo estimado de R$1 milhão .



Fonte: Fonte: Jornal Extra