Suspeito de mandar matar dois em posto presta novo depoimento; inquérito será concluído neste domingo

100


O empresário Bruno Ramos Caetano, suspeito de ser o mandante dos assassinatos do advogado Igor Kalluf e do amigo dele, Henrique Mendes Neto, está dando um novo depoimento na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na tarde desta sexta-feira (19). O inquérito sobre o caso deve ser concluído neste domingo (21).

O acusado estava no Centro de Triagem e chegou na delegacia por volta das 14h30. Ele está preso desde o último sábado (13), quando a Justiça decretou a sua prisão preventiva.

(Foto: Marcelo Borges/Banda B)

O advogado Cláudio Dalledone, que defende o empresário, afirma que a versão do crime apresentada pela DHPP é fantasiosa e nega que seu cliente seja o mandante do crime. Ele assumiu a defesa do suspeito horas após a prisão de Bruno, que aconteceu na casa dele, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba

A versão da DHPP aponta que Bruno estava sendo cobrado por uma dívida de R$ 480 mil em pedras preciosas. O cobrador, um ourives, teria contratado o advogado Igor para que a cobrança fosse mais contundente, visto que Bruno estaria devendo o valor mencionado desde o ano passado.

Em interrogatório na sede da DHPP, na última sexta-feira (12), Bruno disse que a dívida pela qual estaria sendo cobrado não existe. Ele disse ainda que não sabia que os homens que o acompanhavam estavam armados. Durante o depoimento, ele também relatou que teria sido ameaçado por telefone pelo advogado Igor.

 

 

O ouvires também já foi ouvido pela polícia em um depoimento que durou cerca de oito horas. Ele foi acompanhado por todas as partes envolvidas no processo. A delegada Tathiana Guzella, responsável pelas investigações na DHPP, falou à imprensa e garantiu que o depoimento do ouvires corroborou com a versão já dada por ele.

Guzella deve se manifestar sobre a conclusão do inquérito policial apenas nesta segunda-feira (22).

O caso

Dois homens em um posto de combustíveis, limite entre Batel e Centro de Curitiba, foram mortos a tiros por dois suspeitos armados. O caso aconteceu no final da tarde do dia 11 de junho. Câmeras de segurança no local registraram toda a ação dos atiradores. Nas imagens, é possível ver um dos suspeitos tirando uma arma da cintura e apontando contra um grupo de quatro pessoas sentadas ao redor de uma mesa do estabelecimento, entre elas o advogado Igor Martinho Kaluff.

Foto: Reprodução

Outro suspeito armado, com uma garrafa na mão, se aproxima e acompanha a discussão que se desenrola. Duas pessoas que estavam sentadas na mesa saem do posto durante a briga e na sequência um terceiro suspeito armado entra no local. Nesse momento dois atiradores entram em ação e as duas vítimas são mortas dentro da loja de conveniência.

Os dois irmãos acusados de matar os dois homens foram presos na madrugada desta quarta-feira (17). Ilson Bueno de Souza Junior, de 40 anos, e André Bueno de Souza não resistiram às prisões e ambos confessaram a participação no crime, segundo os policiais.


Fonte: Banda B