Suspeito admite crime e diz que tentou expulsar cliente de loja para continuar estupro contra funcionária

0
27


A Delegacia da Mulher informou, nesta sexta-feira (16), que o homem suspeito de roubar e estuprar a funcionária de uma loja no Centro de Curitiba admitiu ter cometido ambos os crimes. Segundo a polícia, o homem ainda teria se passado por um trabalhador do brechó e tentado expulsar uma cliente que entrou no local para ver roupas, apenas para poder continuar a violência sexual contra a vítima.

À Banda B, a delegada Vanessa Alice afirmou que teve uma conversa informal com o acusado. Guilherme Penkal, de 38 anos, se apresentou à Polícia Civil no inicio da madrugada desta sexta-feira (16), após ter sua foto foi divulgada nas redes sociais nesta semana. O interrogatório oficial está previsto para esta tarde.

“Ele mandou a vítima aguardar fechada no escritório e foi atender essa cliente. Inclusive, dizendo que não poderia atendê-la porque só estava cuidando da loja para a funcionária. A cliente, porém, insistiu que queria ver as roupas. Então, o homem disse que a mulher poderia ficar olhando as roupas que iria ‘para dentro’. Ele voltou, fechou a porta do escritório e continuou a violência sexual contra a vítima”, detalhou a delegada à Banda B.

A própria vítima esteve na Delegacia da Mulher e reconheceu o suspeito nesta sexta. Ela precisou de minutos para confirmar a identidade do acusado. Muito abalada, segundo a polícia, ela ficou por pouco tempo na sede da delegacia no bairro Cabral, na capital.

“Ele disse que realmente praticou o crime, e tem, desde criança, uma ‘coisa’ que dá nele; que não ‘consegue se segurar’. Então, ele diz que comete o crime de estupro ou passa a praticar atos obscenos em público – que são os dois antecedentes criminais que ele já possui”, comentou a delegada sobre a conversa que teve com o suspeito.

Delegacia da Mulher (Foto: SMCS)

Histórico

O suspeito possui em sua ficha outros dois crimes por importunação e/ou violência sexual. Em 2011, por estupro e por cometer um ato obsceno no ano de 2013.

“Perguntei se ele já estava fazendo tratamento. Ele disse que já, mas procurou por tratamento somente nessa última semana. Ou seja, depois de praticar o crime de estupro contra a funcionária do brechó. No fim, também falou que já foi abusado sexualmente enquanto criança”, destacou Alice.

Diante do histórico, e dos detalhes que surgem conforme as investigações avançam sobre este crime, a delegada afirmou que o homem é uma pessoa extremamente fria. Ainda, segundo ela, mesmo que durante os anos não tenha aparecido outros delitos, além dos citados anteriormente, é possível que o acusado tenha feito outras vítimas.

“Como ele mesmo disse que não consegue se segurar e que seria algo recorrente, pode ser que tenhamos outras vítimas. A Delegacia da Mulher está a disposição para quem quiser vir conversar conosco, não vamos expor os nomes das vítimas e faremos os procedimentos necessários”, ressaltou a delegada.

O homem irá permanecer detido na Delegacia da Mulher. Após a conclusão do inquérito, segundo a delegada, a polícia irá pedir a prisão preventiva do suspeito que permanece a disposição da justiça.





Fonte: Banda B