Policial federal que atirou contra clientes pode responder por homicídio

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


O policial federal Ronaldo Massuia Silva, de 43 anos, suspeito de matar uma pessoa e ferir outras três em um posto de combustíveis de Curitiba nesta segunda-feira (2), pode responder por homicídio qualificado. O autor dos disparos prestou depoimento na Central de Flagrantes da Polícia Civil e segue preso na sede da Polícia Federal (PF).

Durante o depoimento prestado pelo agente à Polícia Civil, o suspeito teria chorado e alegado legítima defesa, segundo o delegado que o ouviu. A Banda B teve acesso ao conteúdo do depoimento, em que o policial diz que está “emocionalmente abalado”.

Foto: Banda B.

“De alguma forma, no princípio das coisas, eu agi em legítima defesa. Só que assim, estou emocionalmente abalado. Eu estou muito ruim pelos meus filhos e minha namorada”, disse o policial federal, sob choro.

Em entrevista à Banda B na tarde desta segunda, o delegado Tito Barichello, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, disse que, embora o suspeito tenha alegado legítima defesa, nenhuma hipótese é descartada. Segundo o delegado, Ronaldo pode responder por homicídio duplamente qualificado.

“Aparentemente, temos indícios de um homicídio duplamente qualificado. O autor não permitiu quaisquer chances de defesa às vítimas, que estavam desarmadas. Ele [policial] estava armado com uma pistola 9 mm do Estado”, afirmou Barichello.

Além disso, o delegado destacou que o crime ocorreu após uma “discussão por motivo pífio e desproporcional”.

Foto: Banda B

O titular da DHPP também contou, durante entrevista, que ouvirá uma das vítimas do suspeito ainda hoje. Ela, segundo o delegado, está internada no Hospital Cajuru, em Curitiba.

A Polícia Civil analisará imagens do circuito de monitoramento do posto de combustível.

O crime

O policial federal Ronaldo Massuia Silva é suspeito de ter aberto fogo em um posto de combustíveis do bairro Cristo Rei, em Curitiba, na madrugada desta segunda-feira (2). Quatro pessoas foram atingidas pelos disparos e uma delas morreu.

Segundo as primeiras informações, o policial estaria embriagado e teria se desentendido com um segurança do estabelecimento momentos antes do crime.

A Banda B teve acesso a uma mensagem de voz enviada por uma das vítimas atingidas pelos tiros. Ela, que foi baleada ao menos três vezes, segue internada e o quadro clínico é estável.

“Agradeço todo o pensamento positivo de vocês. Estou bem, graças a Deus. Infelizmente, acabei levando uns três tiros, mas está tudo sob controle. Nasci de novo”, disse, com dificuldades.

A defesa do policial federal disse que se manifestará sobre o caso somente após o término das investigações.





Fonte: Banda B