Policial do Cope é baleado em megaoperação que apreendeu fuzil e carros de luxo

0
117


Um policial do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) foi baleado durante uma megaoperação contra uma quadrilha de assaltantes de bancos e carros-fortes, na madrugada desta quarta-feira (4). O confronto aconteceu em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, no momento em que a quadrilha realizava uma transferência de armas. O policial segue internado, com quadro de saúde estável. Duas mulheres foram presas e diversos materiais, entre armas, fuzil, munições e roupas táticas usadas em roubos foram apreendidas.

As investigações começaram há cerca de dois meses. O delegado-geral do Cope Rodrigo Brown disse que a quadrilha estava planejando uma ação em municípios da região metropolitana. “Há algumas semanas estávamos mirando nesse pessoal porque eles estavam planejando um grande roubo aqui na nossa região, daqueles que tomam a cidade inteira perto de Curitiba. Com informações, por meio da Inteligência, conseguimos saturar e impedir que acontecesse”, contou o delegado.

Foto: Banda B

Os integrantes da quadrilha decidiram retirar o armamento de uma chácara usada pelo grupo como esconderijo, mas a transferência foi descoberta pelos policiais do Cope. “Haveria uma transferência de armamento e montamos um esquema na operação. Quando a BMW suspeita estacionou e nós fomos fazer a abordagem, fomos alvejados por disparos de arma de fogo que vinham de uma caminhonete, que nós não sabíamos que estava junto com eles. Houve troca de tiros forte, perseguição, os bandidos fugiram pelas matas, o certo está mantido até agora. Tivemos um policial do Cope baleado”, completou Rodrigo Brown.

O policial está estável, mas segue internado. Nesta ação, armas, inclusive um fuzil .50, coletes balísticos, munições e diversos outros materiais de roubo foram apreendidos.

 

Foto: Banda B

 

O delegado do Cope garantiu que a quadrilha é composta por bandidos experientes. “Tem sangue nos carros, então, é bem provável que eles estão feridos. Esperamos capturar todos eles, o mais rápido possível. Uma arma como essa que foi apreendida, o fuzil, é vendida na criminalidade por cerca de R$ 250 mil. São bandidos de outro nível, não são aqueles que costumamos ver por aqui explodindo caixa. São caras de outro patamar, quando agem vem em dezenas e não se intimidam com a presença policial”, finalizou o delegado.

As duas mulheres foram presas na chácara onde o bando se encontrava antes das ações criminosas. Os policiais civis continuam nas buscas em solo e a bordo do helicóptero da PCPR para localizar os integrantes da quadrilha.

Vídeo

Assista ao vídeo registrado no Cope:



Fonte: Banda B

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui