Polícia faz operação contra milicianos ligados a Ecko e um candidato a vereador na Baixada Fluminense

0
38


A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) realiza uma operação contra milicianos integrantes do grupo liderado por Wellington da Silva Braga, mais conhecido como Ecko, que tem Danilo Dias Lima, conhecido como Tandera, como responsável pela organização criminosa, na manhã desta sexta-feira, dia 6. Os policiais cumprem dez mandados de busca e apreensão em localidades de Nova Iguaçu e Xerém, distrito de Duque de Caxias, para capturar os paramilitares foragidos.

Eles estariam envolvidos na morte do candidato a vereador de Nova Iguaçu Domingos Barbosa Cabral, conhecido como Domingão, de 57 anos, morto a tiros no bairro do Cabuçu, em Nova Iguaçu, no dia 10 de outubro. Domingão era irmão do policial militar Andre Barbosa Cabral, vulgo Cabral, preso pela Polícia Civil em julho deste ano e líder da milícia mais antiga que atuava na região. Ele passou a entrar em conflito com o grupo de Ecko, a partir da expansão promovida por Tandera para aquela região da Baixada Fluminense.

LEIA MAIS: Preso por chefiar quadrilha de furto de combustível, Barão do Petróleo nem tinha carro próprio

Homem é preso em flagrante pela PF por transportar 50kg de cocaína

Além das investigações sobre homicídios outro objetivo é buscar provas que possam indicar a efetiva participação da milícia em campanhas eleitorais com financiamento de candidatos por eles apoiados. Uma das buscas ocorre na casa do candidato a vereador Germano Silva de Oliveira, conhecido como Maninho de Cabuçu.

Conforme a DHBF, as investigações apontam que ele é supostamente o candidato escolhido pela milícia que atua na região e que passaram a restringir atuação de outros em campanha eleitoral. No entanto, a Polícia diz que ele não está necessariamente vinculado à organização criminosa.

VEJA TAMBÉM: Ministério Público denuncia quatro pessoas por corrupção no Corpo de Bombeiros de Nova Iguaçu

Foto: Reprodução

— As buscas tiveram como objetivo fazer um trabalho de inteligência e arrecadar material para análise, com o objetivo de elucidar homicídios, entre eles o do Domingão. Uma das residências foi de um candidato a vereador de Nova Iguaçu, que supostamente, segundo denúncias, é um candidato que teria o apoio da milícia, não necessariamente vinculado à organização criminosa. Sobre a morte de Domingão, as investigações continuam em andamento e estamos desenvolvendo esse trabalho para chegar na conclusão do inquérito — diz o delegado Uriel Alcântara Machado, titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, em entrevista ao “Bom Dia Rio”, da TV Globo.

LEIA TAMBÉM: Polícia Civil prende segurança do miliciano Macaquinho e apreende fuzil, munição e fardas durante a ação

Ex-vereador de Caxias acusado de chefiar grupo que furtou 14 milhões de litros de combustível é preso no Espírito Santo

Mulher é presa suspeita de matar jovem durante festa de aniversário na Abolição



Fonte: Fonte: Jornal Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui