Polícia conclui investigação e prende três suspeitos envolvidos na morte de jovem de 21 anos na RMC

0
51

Após oito meses de investigação, a Polícia Civil prendeu três suspeitos envolvidos na morte de Gabrielle Vieira de Lima, de 21 anos, assassinada em outubro do ano passado no bairro Guarituba, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), após um suposto acerto de contas relacionado ao tráfico de drogas na região. Os três foram presos na manhã desta terça-feira (16), na mesma região onde Gabrielle foi morta e responderão pelo crime de homicídio qualificado.

A Operação Hércules, comandada pela Delegacia de Piraquara, começou a investigar a morte da jovem no dia 16 de outubro de 2019 e nesta terça-feira, após exatos oito meses do crime, cumpriu o mandado de prisão de três suspeitos envolvidos. Ela foi morta com dois disparos de arma de fogo de calibre 380 depois de uma reunião que teria acontecido entre os autores em que foi decidido matá-la.

Delegacia de Piraquara. Foto: Banda B

Envolvimento com o tráfico

Gabrielle Vieira de Lima fazia parte de uma associação criminosa ligada ao tráfico de drogas em Curitiba e Região Metropolitana, e por um certo tempo comandou as atividades no município de Quitandinha, também na RMC, por ordem dos três suspeitos presos. Ela ficou em uma chácara e era quem recebia, embalava e enviava as drogas para diferentes regiões de Curitiba e região.

Passado um período, a vítima decidiu voltar para o bairro onde morava, em Piraquara, e começou, segundo a polícia, a se envolver com grupos rivais daquele que ela pertencia antes. Entretanto, através de uma ligação anônima, os policiais chegaram à chácara onde Lima estava morando antes de voltar para casa e os três que foram presos atribuíram esta denúncia a ela.

Após isso, os chefes do tráfico fizeram uma reunião e decidiram matá-la por “caguetagem”, expressão utilizada para se referir ao apontamento de culpa a alguém. “Como eles eram os líderes da organização, em uma reunião ‘inquisitória’ eles decidiram que ela deveria morrer. Então eles organizaram como aconteceria e a executaram”, disse Sérgio Klaar, superintendente da Delegacia de Piraquara.

Crime

A vítima estava em casa quando, por volta das 21h de 16 de outubro de 2019, recebeu a ligação de alguém e decidiu sair alegando à mãe que iria para a casa de amigos para conversar. De acordo com as testemunhas ouvidas pela polícia, ao chegar em seu destino ela recebeu outra ligação no celular e avisou ao amigos que sairia no portão e logo voltaria, o que não aconteceu.

Ao sair, Gabrielle foi em direção a dois homens que estavam em uma motocicleta vermelha esperando e foi surpreendida pelo rapaz que estava na garupa com o disparou de dois tiros contra ela.


Fonte: Banda B