Pitbulls do rapper Orochi atacam cachorros de Cauã Reymond em condomínio de luxo no Rio

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

A Polícia Civil do Rio instaurou inquéritos para investigar o rapper Flávio Cesar Costa de Castro, conhecido como Orochi, pelos crimes de maus-tratos contra animais, omissão de cautela na guarda ou condução de animais e perigo para a vida ou saúde de outrem. De acordo com vizinhos do artista, que mora em um condomínio de luxo no Joá, na Zona Sul da cidade, seus três pitbulls andam do lado de fora de sua mansão sem coleira nem focinheira e já dilaceraram outros cachorros e também feriram moradores, entre ele uma idosa com demência. Uma das vítimas foi o ator Cauã Reymond, atacado quando caminhava na rua com a sua mulher, a modelo Mariana Goldfarb, sua filha, Sofia, de 10 anos, e dois cães da família.

Os pitbulls do rapper Flávio Cesar Costa de Castro, conhecido como Orochi Foto: Reprodução

De acordo com o delegado Leandro Gontijo, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), os procedimentos tiveram início após representantes da Sociedade dos Amigos da Joatinga (Sajo) procurarem a delegacia diante de reclamações de moradores e funcionários da região dando conta que os três pitbulls circulam livres pela Rua Professor Pantoja Leite, colocando em perigo de vida adultos, crianças e idosos, além de animais de estimação dos mesmos. Pelo menos quatro ataques foram registrados nos últimos dois anos.


- Diante da notícia de crimes graves, que têm aterrorizado a população local com risco a integridade física de pessoas e outros bichos, tentamos intimar o dono dos pitbulls para que prestasse esclarecimento sobre os casos, sem sucesso. Com isso, representamos ao poder judiciário pela proibição da guarda e também pela busca e apreensão desses animais, para que sejam recolhidos e cuidados por uma instituição a ser indicada pela Secretaria Municipal de Proteção e Defesa Dos Animais (SMPDA) – explicou o delegado.

Segundo as testemunhas, por volta de 19h20 do dia 5 de outubro de 2020, um morador passeava com dois labradores com coleira quando foi atacado pelos pitbulls ferozes durante cerca de cinco minutos. Em depoimento na distrital, ele contou que chegou a ficar com escoriações provocadas que sofreu na tentativa de proteger seus animais domésticos. Na ocasião, cinco homens saíram da casa de Orochi diante dos gritos do homem por socorro. O rapper, segundo a vítima, “numa atitude arrogante”, disse que os “cachorros escaparam” e que demorou para recolhe-los porque estava ocupado “gravando seu disco”.

O rapper Flávio Cesar Costa de Castro, conhecido como Orochi
O rapper Flávio Cesar Costa de Castro, conhecido como Orochi Foto: Reprodução

Após chamar Orochi de “assassino em potencial” e de adverti-lo por deixar a porta aberta para dois pitbulls sem coleira saírem numa rua de condomínio por onde passam crianças, ele levou os labradores em uma veterinária. No local, os profissionais atestaram dez mordidas no animal menor e cobraram R$ 1.200 pelo atendimento. Por precaução, o morador tomou vacinas anti-rábica e antitetânica.

Entre 21h e 22h de 17 de março de 2021, um médico passeava com o labrador Zeca, de 9 anos, e sua companheira, quando foi surpreendido por um pitbull que saiu em disparada da casa de Orochi. Por cerca de cinco minutos, viu seu cachorro ser atacado no pescoço e, na tentativa de separar a briga, teve ferimentos nos braços, quadril, nádegas, pés e mãos. Na delegacia, ele contou não ter tido nenhum tipo de prestação de socorro nem ajuda por parte do cantor. 


Na madrugada da 10 de fevereiro de 2022, um funcionário de um empresário sofreu uma queda ao ser atacado pelos pitbulls quando passeava com dois cachorros. Por volta das 20h30 do último dia 12, foi a vez de Cauã Reymond, Mariana Goldfarb, Sofia e dois cães serem atacados pelos pitbulls sem mordaça. Ao prestar depoimento na 16ª DP, o ator contou que os animais saíram da residência de Orochi, que estava com a porta aberta, e afirmou que todos foram protegidos por seus bichos, que enfrentaram os pitbulls.

Em nota, a assessoria de imprensa do ator confirmou ao EXTRA o ataque e informou que, “ao que tudo indica, os cães foram levados para um outro local”. “O rapper entrou em contato com o Cauã via mensagem e tudo ficou resolvido entre os dois. Cauã inclusive é um grande admirador do trabalho do Orochi”, disse o comunicado.

Na representação pelos mandados de busca e apreensão, o delegado Leandro Gontijo ressalta que o rapper Flávio Cesar Costa de Castro, o Orochi, descumpriu a lei estadual 3205, de 1999, que obriga a condução de pitbulls com focinheira. O pedido está sendo analisado pela juíza Paula Fernandes Machado, da 5a Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio.

— Como se trata de uma prática reiterada, com vários episódios de ataques e falta de cuidado na guarda e cautela dos animais, as penas dos crimes poderão ser somadas. Esse somatório é relevante porque afasta uma série de benefícios previstos na legislação e aumenta as chances de condenação criminal, inclusive para reparar os danos causados as vítimas — afirmou o advogado criminalista Thiago Andrade, que representa a Sajo no procedimento criminal.

Procurado pelo EXTRA, Orochi informou que os “fatos alegados são contraditórios e serão devidamente apurados no judiciário”. “Os cães não são de minha propriedade, assim como em todos os supostos episódios de fugas dos cães, eu não tive qualquer ação ou omissão que deixasse os cães escapar. Apesar disso, há uma ainda não explicada intenção de atribuir a mim, talvez o único jovem negro proprietário de um imóvel no Joá, a pecha de criminoso”, disse o cantor, em nota.

Fonte: Fonte: Jornal Extra