A Polícia Federal (PF) anunciou que irá apurar o ataque do policial a tiros em um posto de combustíveis, no bairro Cristo Rei, em Curitiba, que terminou com a morte do fotógrafo André Muniz Fritoli. Em nota divulgada a imprensa, a corporação afirma que “foram determinadas as providências legais para a apuração do episódio, sob o aspecto administrativo-disciplinar”. Leia o texto na íntegra, abaixo.

PF começa a apurar ação de policial que matou fotógrafo em posto de combustíveis de Curitiba. Foto: Reprodução

Câmeras de segurança do estabelecimento filmaram toda a ação do policial federal Ronaldo Massuia Silva. As imagens mostram o momento da confusão e a sequência de disparos feitos pelo oficial. Além de Fritoli, que foi atingido e morreu, outras três pessoas ficaram feridas no atentado da noite deste domingo (1º).

Na madrugada desta segunda (2), Silva prestou depoimento à Polícia Civil. Ele alegou legítima defesa e chorou ao falar com o delegado.

Nota da Polícia Federal

Leia a nota completa que a PF divulgou à imprensa, abaixo:

A Polícia Federal, desde o momento em que tomou conhecimento dos graves fatos ocorridos na noite passada, nesta capital, envolvendo disparos de arma de fogo por um policial federal, com vítimas, acompanha e colabora com as investigações conduzidas pela Polícia Civil do Estado do Paraná.

Imediatamente, foram determinadas as providências legais para a apuração do episódio, sob o aspecto administrativo-disciplinar.

A Polícia Federal lamenta profundamente os acontecimentos e expressa solidariedade neste momento de luto e dor das vítimas, familiares e amigos, ressaltando que tais condutas não refletem a formação, princípios e valores éticos da Instituição.

Nota da Polícia Federal divulgada à imprensa

Leia outras matérias sobre os tiros dados pelo policial em um posto de Curitiba: