Pai e avó acusados de matar e enterrar menina em quintal vão a júri popular no Paraná

0
24


A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) decidiu na quinta-feira (5) que Ricardo Seidi e Terezinha de Jesus Guinaia, pai e avó, respectivamente, de Eduarda Shigematsu, de 11 anos, que foi encontrada enterrada no quintal de um imóvel da família, em Rolândia, no norte do Paraná, vão a júri popular. A informação é da Paiquerê FM News.

Eduarda Shigematsu foi morta aos 11 anos – Reprodução

O corpo de Eduarda Shigematsu foi encontrado no fim de abril de 2019. O pai dela, Ricardo Seidi, que está preso, é réu por homicídio qualificado (asfixia, dificultar defesa da vítima e feminicídio), ocultação de cadáver e falsidade ideológica. Ele confessou que enterrou o corpo da filha, mas nega que tenha matado a criança.

Ricardo Seidi está preso – Reprodução

A avó de Eduarda, Terezinha de Jesus Guinaia, foi denunciada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), mas o juiz da primeira instância entendeu que não havia indícios suficientes da participação dela. Entretanto, após o recurso ao TJ-PR, os desembargadores decidiram que a avó será julgada no Tribunal do Júri pela prática dos crimes de ocultação de cadáver e de falsidade ideológica. A data do julgamento não está marcada.

O pais está preso e a avó responde ao processo em liberdade.

O caso

Eduarda desapareceu em 24 de abril de 2019, em Rolândia. Quatro dias depois, a Polícia Civil encontrou o corpo enterrado nos fundos de uma casa que pertence ao pai da menina. Um exame do Instituto Médico-Legal (IML) apontou que a menina morreu por esganadura – o que contraria a versão do pai.

 



Fonte: Banda B

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui