Mulher morre após cirurgia estética feita em casa com médico sem permissão para atuar

0
45


Uma mulher de 41 anos morreu no último sábado após ser submetida a um procedimento estético dentro de casa, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A esteticista Erika Cristina Santos Pereira teria feito uma lipoaspiração e uma cirurgia nos seios. Segundo a família da vítima, a intervenção estética ocorreu há cerca de duas semanas.

De lá para cá, ela apresentou piora no estado de saúde. Na tarde de sábado, a esteticista teve queda do nível de consciência e foi levada pelo marido para a UPA Beira Mar, que fica ao lado do Hospital Municipal Dr Moacyr Rodrigues do Carmo (HMMRC), também em Duque de Caxias, mas não resistiu e morreu. Erika foi diagnosticada com choque séptico e teve uma parada cardiorrespiratória.

O caso foi encaminhado para a Decon (Delegacia do Consumidor). O titular da especializada, delegado André Neves, diz que o médico foi identificado como Antônio Santo Marchesan. A polícia aguarda para ouvi-lo nos próximos dias. Familiares da vítima já foram ouvidos. Os agentes requisitaram o boletim de atendimento médico e realizam diligências para esclarecer o fato.

— Ele tem 34 anotações criminais, entre elas dois homicídios. Ele está foragido, estamos procurando para que preste os esclarecimentos necessários — conta Neves.

Antonio Santo Marchesan teve a licença cassada há cinco anos e possui 35 anotações criminais Foto: Reprodução

Nas redes sociais, a mãe de Erika fez uma homenagem à filha, em tom de dor e desabafo: “Por que você me deixou? E agora, o que será de mim? Me diz, meu Deus, que é mentira. O meu mundo acabou”,postou Sheila Santos.A publicação recebeu dezenas de comentários lamentando a morte da esteticista: “Não consigo acreditar. Ela era um amor de pessoa. Que Deus a tenha num bom lugar”, comentou um amigo da família.

Erika já foi passista da escola de samba Grande Rio. De acordo com a Decon, o médico responde a mais de 20 procedimentos administrativos no Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj), além de ter o CRM cassado desde 2008.

Em nota, a Secretaria municipal de Saúde e Defesa Civil de Caxias informou que a paciente foi admitida em estado grave e que todas as manobras de ressuscitação foram realizadas, sem sucesso. Já o Cremerj, também em nota, reforça que Antônio Santo Marchesan não pode exercer a medicina por causa da cassação: “Qualquer atuação neste sentido é ilegal e deve ser investigada pela polícia”.

Médico havia sido preso há três meses

Em setembro, o médico Antônio Santo Marchesan foi preso após a polícia fechar uma clínica de estética em Bonsucesso, Zona Norte do Rio. Segundo o delegado André Neves, o suspeito até então respondia em liberdade.

— Ele foi preso e colocado em liberdade pela Justiça. Agora, ele só não foi detido porque não houve flagrante. Até terminar as investigações, vou pedir a prisão dele. Pela morte da Erika, ele vai responder por homicídio e exercício irregular da profissão — explica o delegado.

As passagens pela polícia começaram em 2004. Além dos dois homicídios, Antonio tem anotações por falsidade ideológica, uso de medicamentos nocivos à saúde, lesão corporal e estelionato.

Whatsapp



Fonte: Fonte: Jornal Extra