Mulher descobre venda de rifas para programa sexual com seu nome e suspeito é preso em Curitiba

0
15


Uma mulher, de 29 anos, foi vítima de um estelionatário ao ter fotos e dados divulgados em grupos de WhatsApp por um homem que estaria sorteando um programa sexual com ela através de rifas. O suspeito, de 31 anos, foi preso em flagrante nesta segunda-feira (19), em Curitiba.

À Banda B, a vítima afirmou que descobriu o crime através de um amigo e explicou como o suspeito ofertava o programa com ela.

“Fiquei sabendo através de um amigo, que me mandou mensagem perguntando se era eu quem estava fazendo a rifa. Ele [suspeito] fez uma rifa com mais de 200 unidades e vendia por R$ 5 cada uma. Ele ainda usou uma foto minha”, explicou a mulher.

Foto: Antônio Nascimento/Banda B

Ao ser questionada sobre como o homem poderia ter tido acesso às imagens, a vítima afirmou que posou nua para uma revista masculina há algum tempo, e as fotos poderiam ter sido encontradas na internet.

“Vim até a delegacia e mostrei alguns áudios que ele [suspeito] me enviou após eu entrar em contato pra entender o que estava acontecendo”, continuou ao destacar que ficou assustada com a situação.

A vítima não sabe como o criminoso justificaria ao ganhador da rifa o que seria feito após o sorteio. “Ele ainda disse que já tinha feito outras vezes”, disse ela.

A mulher lamentou a exposição e afirmou que foi prejudicada ao ter sua imagem exposta em grupos, já que tem família e filho, segundo relatou.

Prisão

Policiais do 10º Distrito Policial ouviram a vítima durante esta manhã e conseguiram dados sobre o suspeito, como contato telefônico e localização em Curitiba.

“Nossa equipe foi até o local e efetuou a prisão dele em flagrante delito. Ele reagiu à prisão, tentou agredir os policiais e os ofendeu. Apesar disso, foi contido e preso”, explicou o delegado Rinaldo Ivanike.

Foto: Reprodução

O homem foi autuado por falsidade ideológica – por se passar pela vítima para fazer as vendas –, estelionato, resistência à prisão e desacato.

“Ele disse que a ação praticada não era delituosa, que não tinha praticado crime algum. Foi mostrado documentos, distintivos, etc, e ele não acatou a ordem dos policiais”, disse o investigador Luis Schimdt.

À reportagem, o delegado destacou que o suspeito justificou o crime pela falta de dinheiro. Ele não tinha passagens pela polícia até então.

Áudios

A Banda B teve acesso aos áudios enviados pelo criminoso à vítima. No início, ele explica que está sem dinheiro e que precisa “juntar uma graninha”. Segundo os relatos (ouça abaixo), a rifa foi a maneira que ele encontrou para conseguir dinheiro.

Na segunda mensagem de voz enviada à mulher, o suspeito ainda oferece metade do faturamento das rifas para que ela deixasse de lado o assunto. Ouça na íntegra:





Fonte: Banda B