Mulher denuncia ter sido torturada por ex-marido na frente da filha

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Uma empresária afirma ter passado momentos de terror no final do último mês, após uma nova tentativa de se separar do então marido. Em entrevista à Banda B nesta terça-feira (10), a mulher narrou cenas de tortura vivenciadas por ela na frente da própria filha, de 9 anos.

“Eu vivi um relacionamento abusivo com ele [ex-marido] durante 11 anos. Há dois anos tento me separar de forma amigável e não consigo”, iniciou a vítima, que vive no bairro Sítio Cercado, em Curitiba.

Sinais de sangue na cama onde a mulher teria sido torturada pelo ex-marido — Foto: Arquivo pessoal

A tortura, segunda ela, ocorreu no dia 19 de abril, dia em que tentou conversar com o agressor. A vítima diz ter sido atacada pelo ex-marido com um canivete, em uma cama.

“Ele me torturou durante três horas. Me amarrou, me esganou e perdi a consciência duas vezes. Em uma delas, me fingi de morta. Minha filha disse que me viu amarrada e morta em cima da cama.”

Após o crime, a polícia teria sido acionada e o homem, fugido. Na delegacia, a mulher fez um boletim de ocorrência sobre as agressões e entrou com um pedido de medida protetiva contra o suspeito.

À Banda B, ela apresentou fotos que teriam sido registradas após as agressões e também durante atendimento médico recebido em casa.

“Ele fugiu do flagrante. Depois de alguns dias, se apresentou na delegacia e saiu pela porta da frente.”

Mudanças na rotina

A empresária também destacou, durante entrevista, que sua rotina e da filha sofreram alterações por conta do medo do agressor. De acordo com ela, a menina demorou a voltar à escola porque “tem medo do pai”. A criança também está inclusa na medida protetiva, e o suspeito deve manter distância de, no mínimo, 300 metros dela.

Vítima das agressões recebe antedimento médico após o acionamento do Corpo de Bombeiros — Foto: Arquivo pessoal

“Eu preciso trabalhar, mas estou com medo. Fiquei 15 dias com a loja fechada. Tive que colocar uma porta de vidro para poder trabalhar em paz, mas, mesmo assim, ainda tenho muito medo do que ele possa fazer. Preciso sustentar minha filha”, prosseguiu ela.

Perseguição

A vítima também diz estar sendo perseguida pelo ex-marido, que, segundo relatos de vizinhos, tem aparecido com frequência nas redondezas da casa dela.

“Quatro ou cinco pessoas me relataram que ele está aqui por perto, a cerca de 100 metros de casa, e foi visto também em esquinas próximas. No segunda-feira [09/05], eu vi ele de relance na frente da minha casa.”

Mulher mostra mão ferida após ter tentado se proteger do canivete usado pelo ex — Foto: Arquivo pessoal

Ela esteve na delegacia novamente nesta terça (10), segundo afirmou à reportagem, e foi informada de que o pedido de prisão preventiva contra o ex-marido havia sido negado. “Não me disseram o porquê. Eu só quero justiça, ele tem que pagar. É muito cruel uma pessoa planejar a morte de outra”, concluiu a mulher.

A reportagem da Banda B tenta contato com a Polícia Civil para uma posição sobre as investigações do caso.





Fonte: Banda B