Mulher apontada como ‘mãe do tráfico’ no Bairro Alto há 30 anos é presa em operação da PM

0
34


Uma mulher foi presa na manhã desta quinta-feira (20), no Bairro Alto, em Curitiba. Ela é suspeita de ser a matriarca de um grupo de traficantes que atuava na região há mais 30 anos. A suspeita foi presa dentro da Operação Iracema, do 20° Batalhão de Polícia Militar, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

As equipes policiais cumpriram 13 mandados de prisão e seis de busca e apreensão em Curitiba e Região Metropolitana, que resultaram em 20 prisões. Mais de R$ 11 mil em dinheiro e 15 quilos de maconha e crack foram apreendidos.

Drogas e dinheiro em espécie aprendidos na operação Foto:PMPR

Segundo a polícia, a organização criminosa tinha envolvimento de integrantes de uma mesma família, em que uma mulher teria assumido a liderança no lugar do filho, que saiu da atividade criminosa. Era um domínio que vem de família, segundo a polícia:

“O filho dela comandava antes, mas ele teria saído desse tipo de crime e a mãe era a líder até ser presa hoje”, disse o capitão Aurélio, 20º Batalhão da Policial Militar, sobre a operação batizada de Iracema.

De acordo com o capitão, além dos presos a quadrilha atuava também de dentro de presídios.

“São denúncias que recebemos há anos e hoje conseguimos identificar essa quadrilha de atuação no Bairro Alto e outras regiões. Eles também atuavam de dentro dos presídios”, disse.

Investigação

A Operação Iracema foi deflagrada após três meses de investigação. Os policiais receberam informações pelo Disque Denúncia 181 sobre a atividade criminosa do grupo e, em conjunto com o Ministério Público, fizeram diligências para identificar os envolvidos e pontos de atuação.

Os mandados judiciais foram cumpridos em Curitiba, nos bairros Alto Boqueirão, Pinheirinho e Bairro Alto, e nos municípios de Araucária, São José dos Pinhais e Fazenda Rio Grande. Ao longo das primeiras horas desta quinta-feira, as equipes prenderam 20 pessoas. Outras três pessoas presas no sistema penitenciário também estavam envolvidas.

Com a operação foram apreendidos uma arma de fogo (espingarda de calibre .12), dois simulacros de arma de fogo, 57 munições, das quais 18 para fuzil, 230 gramas de cocaína 13,4 quilos de maconha e cinco mudas da mesma droga, além de 2,3 quilos de crack, divididos em 1.616 pedras, dois veículos e R$ 11.718 em dinheiro.





Fonte: Banda B