O motorista suspeito de atropelar Carla Colaço de Lara, de 49 anos, ‘sem mais, nem menos’, se apresentou na Delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, nesta sexta-feira (24). De acordo com a Polícia, ele afirmou que não viu a mulher na hora do acidente e achou que tinha batido em um carro. O marido, porém, contestou a versão. A vítima acordou do coma nesta sexta.

Foto: reprodução câmeras de segurança;

Carla foi atropelada na frente de uma farmácia e imagens de câmeras de segurança registraram o acidente. Ela saiu para comprar um medicamento para o menino, no dia 16 de junho de 2022. O suspeito alegou que viu na imprensa as imagens e ficou sabendo que atropelou, segundo o investigador Carioca. Também, estaria com o carro do pai.

“O suspeito alegou que não viu a vítima, achou que tinha batido com um carro estacionado. É possível ver nas imagens o momento que encosta no carro. Disse que só percebeu o atropelamento após ver na imprensa”, comentou o investigador.

O marido da vítima, César Oliveira, não concorda com a versão do investigado e pede justiça no caso da esposa. “Eu não concordo com nada que ele falou. Única coisa que eu quero é justiça e agradecer o ótimo trabalho da Delegacia do Alto Maracanã“, afirmou.

A mulher está em estado grave para o Hospital Cajuru. Um vídeo registrou o momento do acidente.