Modelo Eloisa Fontes tem alta de hospital e volta a Alagoas com a mãe com ajuda de vaquinha

0
35


Depois de 22 dias internada em um hospital psiquiátrico no Rio de Janeiro, a modelo Eloisa Pinto Fontes, de 26 anos recebeu alta no fim da tarde de quarta-feira, dia 28. A mãe da jovem, Luciene Fontes, chegou ao Rio por volta das 6h para liberar a saída da filha do Instituto Philippe Pinel, em Botafogo, onde ela foi internada no dia 6 de outubro após ser resgatada dentro do Morro do Cantagalo, em Copacabana, pela Operação Ipanema Presente, na Zona Sul. Eloisa retornou com a mãe para Piranhas, no interior de Alagoas, na madrugada de quinta-feira. A viagem de 36 horas até a rodoviária de Paulo Afonso, município que fica a uma hora da cidade natal da modelo, foi bancada por uma vaquinha feita pelos amigos, que arrecadou R$ 1600.

Com parte do valor, cerca de R$ 800, forma compradas as passagens da jovem e de sua mãe. O restante do montante arrecado foi entregue para Luciene pagar despesas da viagem e no que precisassem. A previsão é que elas cheguem por volta das 16h em Paulo Afonso para depois seguirem até a residência da familia, em Piranhas.

LEIA TAMBÉM:‘Eloisa Fontes é uma grande vítima do meio, da moda e da vida’, diz amiga de modelo resgatada em favela

Carreira de Eloisa Fontes foi marcada por glamour, encontros com celebridades e viagens pelo mundo

Eloisa Fontes em uma das últimas imagens postadas em suas redes sociais, em março de 2020, no Rio Foto: Reprodução / Redes Sociais

Eloisa esperou ansiosamente para ser liberada do hospital e sempre deixou isso claro nas ligações que fez para o amigo tutor. Na quarta-feira, por volta das 17h, e ainda sob efeitos de medicamentos, a alagoana viu a mãe logo que saiu no hall e deu um abraço forte nela. Não chorou, mas estava com um semblante tranquilo. Além da liberdade, o único desejo era comer pastel de carne e tomar caldo de cana.

— Já estava tudo combinado com o hospital. A mãe dela chegou, estava triste, sabe que a situação da filha ainda inspira cuidados. Ela está chateada com a situação toda. Mas elas se abraçaram na saída da Eloisa, que sempre deixou claro que queria sair. Ninguém quer ficar internado em um hospital psiquiátrico mesmo o pior doente. Ela estava bem, tranquila e disse que estava com fome e pediu para comer pastel de carne e tomar caldo de cana, porque lembrou que na saída da outra internação dela (em agosto), a levamos lá. Mas dessa vez fomos direto casa e não deu — conta Assis.

VEJA MAIS: Eloisa Fontes: amigos da modelo falam sobre marido abusivo e ligado à máfia

Na polícia, modelo internacional encontrada no Rio disse que parentes ‘só desejam seu dinheiro’

Na casa do amigo, Eloisa comeu um peixe, arroz e batata, um prato preparado pela mãe, e um pão feito pelo amigo. Após o jantar, ela adormeceu antes da extenuante viagem. Por volta de 21h30 de quarta-feira, ela acordou e se vestiu uma roupa que ganhou da mulher de Assis. Ao chegar na Rodoviária Novo Rio, na Zona Central, se deparou com o atraso de 1h30 ônibus, que só partiu por volta de uma hora da manhã de quinta-feira, dia 29. A viagem vai durar quase 40 horas.

Assis torce para que não veja Eloisa tão cedo. O amigo acredita que um retorno dela ao Rio de Janeiro poderia trazer novamente problemas na vida da jovem. Como a alagoana fala inglês e alemão fluente, o amigo espera que ela consiga algum trabalho com essas qualificações, mesmo que fora do mundo da moda.

— Levantamos um dinheiro para ela viajar com a mãe numa vaquinha. Foram cerca de R$ 1600, metade para pagar três passagens (ida e volta da mãe, e uma ida da modelo) e o restante para elas usarem durante a viagem. Espero que ela nunca mais apareça no Rio. De coração. Isso aqui é um inferno. Se ela estiver no Rio, a possibilidade será que o problema voltou. Torço pela recuperação dela, que ela fique por lá e se cuide. Ela fala bem inglês e alemão, poderia arrumar um trabalho usando o seu conhecimento — diz Assis.

VEJA MAIS: Eloisa Fontes procurou agência para retomar a carreira de modelo no Brasil, mas pandemia impediu os planos

‘Feliz’ e ‘fora de perigo’, declarou em delegacia modelo internacional encontrada no Rio

Eloisa Fontes está internada no Instituto Pinel
Eloisa Fontes está internada no Instituto Pinel Foto: Reprodução

Relembre o caso

Eloisa Fontes, de 26 anos, foi encontrada desorientada dentro da comunidade do Cantagalo, na Zona Sul do Rio, no dia 6, por agentes da Operação Ipanema Presente. Em 2019, a jovem já havia sido encontrada vagando nas proximidades de Nova York após cinco dias desaparecida.

A modelo chegou ao Rio em janeiro de 2020, depois de uma temporada de 11 meses de altos e baixos na cidade dos EUA. Recém-contratada pela Marilyn Agency, ela teve um surto em junho de 2019, quando desapareceu por cinco dias. Foi encontrada desorientada numa cidade a 30 minutos de Manhattan. Depois disso, a carreira internacional foi abalada.

LEIA TAMBÉM: Modelo Eloisa Fontes andava com mochila contendo documentos e cartas de referências de fotógrafos internacionais

Eloisa Fontes foi convencida por policial que a resgatou a ser internada em hospital no Rio

Eloisa Fontes: promessa das passarelas de Nova York vivia em situação de rua no Rio

Durante o período que ficou desaparecida no Rio, a alagoana sempre carregou consigo uma mochila com documentos, entre eles a carteira de trabalho original, e cartas de referências de fotógrafos internacionais. Ela tentou retomar a carreira no Brasil, mas a pandemia atrapalhou os planos.

Após ser resgatada no Morro do Cantagalo, na Zona Sul do Rio, a alagoana está internada no Instituto Philippe Pinel, em Botafogo, após ter sido levada por policiais da Operação Ipanema Presente que, inclusive, a convenceram a conversar com o médico da instituição, que a internou imediatamente.

No dia 9 de outubro, uma conceituada clínica particular da Zona Oeste entrou em contato com Francisco Assis e ofereceu tratamento para a modelo. A decisão sobre a nova internação foi negada e e ela permaneceu no Pinel por três semanas até ter a alta médica e voltar para casa.

Eloisa carregava mochila com recomendações
Eloisa carregava mochila com recomendações Foto: Divulgação

Carreira internacional

Eloisa deixou a pequena cidade de Piranhas, no interior de Alagoas, aos 17 anos, para ser modelo em São Paulo. Lá, conheceu Andre Birleanu, supermodelo russo com quem casou. Eles moraram juntos em Londres e tiveram uma filha, atualmente com 7 anos. A menina vive em um lar temporário.

Por oito anos, a alagoana de 1,80m desfilou nas semanas de moda de Paris e Milão, requisitada por estilistas de peso, como Vivivenne Westwood e Giambattista Valli. Depois, vieram trabalhos para Armani, Armani Exchange, Stella McCartney, Dior e outras marcas. Ela também chegou a estrelar uma campanha da Dolce & Gabbana e desfilou junto com a filha, ainda de colo. Ela também fez capas para revistas conceituadas como “Elle”, “Grazia” e “Glamour”. Eloisa chegou a passar temporadas em Nova York e na Itália.

Leia Também: Ex-diretor do Hospital Pedro II é suspeito de feminicídio contra a ex-mulher por não aceitar fim da relação

Jovem baleada em ação policial na Maré continua em estado grave

A modelo Eloisa Fontes
A modelo Eloisa Fontes Foto: Reprodução / Instagram



Fonte: Fonte: Jornal Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui