Marido que matou professora que tentava se divorciar dele é condenado a mais de 18 anos de prisão

0
15


O Tribunal do Júri de Ponta Grossa condenou na sessão realizada nesta terça-feira (13), Marcelo de Ávila acusado da morte da esposa, a professora Luciane Ávila. Ele terá de cumprir pena de 18 anos e 08 meses de reclusão em regime inicialmente fechado.

Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público, no dia 4 de dezembro de 2019, por volta das 13 horas, na Avenida Anita Garibaldi, nesta Cidade, Ávila matou a vítima Luciane, sua esposa, quando a mesma estava se dirigindo ao trabalho, desferindo-lhe diversas facadas. Na mesma data, o acusado ainda desferiu golpes de faca contra um terceiro que tentou impedir o crime.

Luciane Ávila foi morta pelo marido Marcelo Ávila (Foto: Arquivo JM)

O advogado Gustavo Madureira que fez a defesa de Marcelo ressaltou que a condenação foi de 28 (vinte e oito) anos de reclusão, entretanto, considerando que os jurados acataram a tese de que o réu era semi-imputável, por ser portador de doença mental, a pena foi reduzida em 1/3, ficando definitiva em 18 anos e 08 meses de reclusão.

O acusado ainda foi condenado á 2 meses e 22 dias de detenção pelo crime de lesões corporais, e a 4 meses de detenção por submeter criança a constrangimento. As penas aplicadas ao réu, por ora, foram substituídas por internação devendo o sentenciado permanecer internado no Complexo Médico Penal para tratamento. Madureira afirmou que pretende recorrer da decisão para reduzir a pena imposta ao réu.

Atuando como assistente de acusação, o advogado Angelo Pilatti Junior explica que Ávila foi condenado a 18 anos e oito meses de reclusão no crime de homicídio, mais 6 meses por lesão corporal. ‘Como a perícia médica atestou que ele tem problemas de depressão aguda, é considerado pelos médicos, como semi-imputável. Se o laudo desse como imputável, seria isento de pena’, assinalou o criminalista. O réu está no Complexo Médico Penal, em Curitiba, para cumprimento da pena.

O crime

Luciane Ávila foi morta aos 42 anos quando chegava ao trabalho. Socorristas tentaram reanimá-la por meia hora, mas ela não resistiu.

Após o crime, o marido fugiu em uma moto e jogou a faca utilizada para ferir as vítimas. Ele foi preso em seguida. Luciane já havia pedido uma medida protetiva contra ele, que não aceitava o processo do divórcio. Na ocasião do crime, o pedido de proteção ainda estava em análise na justiça.

Os dois estavam casados há 25 anos e a mulher havia saído de casa em outubro. O casal tinha três filhos, sendo um de oito anos.

Para mais informações dos Campos Gerais, acesse o portal aRede clicando aqui.





Fonte: Banda B