Marido confessa morte de jovem que desapareceu há duas semanas; corpo foi enterrado na casa do casal

0
51


Duas semanas após o desaparecimento da jovem Ana Paula Proença Almeida, de 25 anos, o marido dela confessou a morte na manhã deste domingo (3). O corpo foi enterrado nos fundos da casa do casal, em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com a defesa de Adriano Meinster, de 35 anos, o crime aconteceu após uma briga e ele vai colaborar com toda a investigação.

Adriano e Ana Paula (Foto: Reprodução)

Ana Paula desapareceu no dia 21 de dezembro e familiares já conheciam o histórico de brigas do casal. A mãe dela, Cleonice Proença, concedeu entrevista à Banda B no dia 28 e relatou que não sabia mais o que fazer.

Com a prisão, Adriano descreveu que a briga foi motivada por ciúmes. “A Ana Paula teria encontrado mensagens de uma amante no celular de Adriano e questionado sobre uma viagem feita a Itapoá. Pelo que o autor nos contou, a vítima estava com uma faca e teria partido para cima dele, mas a morte aparentemente aconteceu por asfixia”, disse o delegado Ademair Braga.

O filho do casal, de dois anos, estava dentro de casa no momento do cometimento do crime, mas a polícia não soube informar se ele presenciou a morte.

Foto: Marcelo Borges – Banda B

A Delegacia de Fazenda Rio Grande esteve na casa anteriormente, mas um forte cheiro de cal impediu a localização do corpo.

Adriano foi encontrado na madrugada deste domingo na zona rural de Mandirituba, também na região metropolitana, e tentou fugir da polícia.

Defesa

O advogado de Adriano, Claudio Dalledone, disse que a localização do corpo foi um apontamento da defesa e que ele irá colaborar com toda a investigação. “Ele não aguentava mais, já que cometeu o crime em um ato de desespero. É mais uma tragédia que, infelizmente, assola a sociedade. Obviamente ele se arrepende do ocorrido, já que desgraçou a própria vida e tirou a vida da esposa”, comentou.

Segundo Dalledone, toda a tratativa para localização do corpo foi feita com a Divisão de Polícia Metropolitana da Polícia Civil.

Família

À Banda B, a mãe Cleonice Proença lamentou a frieza de Adriano. “A gente procurou por tudo, pelos matos e não encontrava nada, mas não imaginava que ele poderia fazer isso”, lamentou.

O padrasto Paulo Roberto fez duras críticas a Adriano e garantiu que ele vivia às custas de Ana Paula. “Ele não trabalhava, vivia de bico e é um canalha. Com uma cara de pau, ele deu entrevista pedindo ajuda e agora se arrependeu tarde, não poderia ter feito isso”, disse.

A Delegacia de Fazenda Rio Grande segue investigando o caso de feminicídio.



Fonte: Banda B

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui