Mãe faz campanha nas redes sociais para cobrar investigações sobre a morte do filho

0
34


Uma mãe enlutada iniciou uma campanha nas redes sociais para chamar atenção das autoridades para o assassinato do filho mais velho. Luiz Henrique Pereira Baptista Alves tinha 24 anos e morreu em 22 de novembro, vítima de uma tentativa de assalto. Ele era passageiro de um veículo que entrou na mira do criminoso na Grajaú-Jacarepaguá. Um único tiro foi disparado, pegou o motorista de raspão e se alojou no pescoço de Luiz, que não resistiu. Agora, Raquel Alves, mãe do rapaz, luta para que o culpado pelo crime seja encontrado e punido.

Desde o crime, Raquel tem se dedicado a dar visibilidade ao caso, na esperança de que as investigações prossigam. Ela tem contado com o apoio de amigos e alunos de Luiz Henrique, que era personal trainer, para publicar o caso na maior quantidade possível de perfis e grupos nas redes sociais.

— Eu peço justiça para Luiz Henrique, ele não pode ser só mais uma vítima e uma estatística de assalto e quem fez ficar impune. Nada vai trazê-lo de volta, mas podemos evitar que mais mães, pais, avós, tios e amigos chorem — diz a mensagem de Raquel.

Luiz Henrique Baptista tinha 24 anos Foto: Reprodução

Enquanto luta por justiça, a representante comercial convive com as lembranças de um filho, que para a mãe ainda era um menino e cheio de sonhos.

— Ele era um menino que estava sempre rindo, era feliz. Ele era estudioso e acreditava que um professor poderia se dar bem no Brasil. Ele dizia assim: “Eu quero ensinar o que eu sei de melhor” — relembra Raquel.

Luiz Henrique era formado em Educação Física e competia como fisiculturista, prática que herdou do pai. O próximo sonho que desejava realizar era o de ter um filho com a namorada, com quem morava há dois anos, na Tijuca.

— Infelizmente, eu não vou poder ser avó de um filho do Luiz Henrique — desabafa Raquel.

Tentativa de assalto

Na madrugada do dia 22 de novembro, Luiz Henrique voltava da Barra da Tijuca, onde comemorou a aprovação de um amigo num processo seletivo. Ele estava no banco do carona, quando o motorista viu um homem mirar a arma para o carro. Um único disparo pegou o rapaz de raspão e atingiu o pescoço do personal trainer.

Luiz Henrique foi levado imediatamente a um hospital particular no Grajaú, mas não resistiu à segunda parada cardíaca e morreu às 6h11.

O caso de Luiz Henrique está sendo investigado pela Delegacia de Homicídio da Capital, na Barra da Tijuca.



Fonte: Fonte: Jornal Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui