Linha Amarela é fechada no sentido Fundão após manifestação por morte de morador da CDD

0
99


A morte de Marcelo Guimarães, de 38 anos, vítima de bala perdida próximo à comunidade Cidade de Deus, motivou um protesto de moradores em um dos acessos para a Linha Amarela. O Viaduto Engenheiro Ruy Pestana de Vasconcelos está fechado no sentido Fundão, demais bairros da Zona Norte e Centro do Rio, no início da tarde desta segunda-feira, dia 4. Os manifestantes colocaram pedaços de madeira e de móveis na Estrada do Gabinal, que dá acesso à Avenida Ayrton Senna, e que foi interditada há mais de uma hora.

Já no sentido Barra da Tijuca tem bloqueios parciais. A orientação do Centro de Operações é para evitar a Linha Amarela e optar pelos acessos à Zona Oeste pelo Alto da Boa Vista e Grajaú-Jacarepaguá.

O clima é tenso na região. Policiais militares do Batalhão de Polícia de Via Expressa e do 18ºBPM acompanham a ação e retiram as barricadas. Um blindado da PM acaba de chegar no local. Os moradores fazem uma corrente no meio da pista como forma de protesto e tentam impedir a entrada do carro.

Atingido em moto

Marcelo Guimarães passava de moto na Avenida Edgard Werneck, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, na manhã desta segunda-feira, dia 4, quando foi atingido. De acordo com a Polícia Militar havia um confronto no local — moradores da Cidade de Deus, perto dali, negam essa versão e dizem ter ouvido apenas um tiro. A perícia da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) foi acionada.

De acordo com a versão da PM, o confronto começou quando equipes do 18º BPM que faziam um patrulhamento na Edgard Werneck e foram alvos de disparos feitos por bandidos que estavam na Cidade de Deus. Os agentes, segundo a corporação, revidaram.

— Não houve operação da PM no local. Marginais rechaçaram com disparos nosso blindado, que vem sendo posicionado no local para dissuadir possíveis investidas. Nesse contexto foi atingido um motociclista que vinha saindo da comunidade e, pela posição dos disparos, é improvável que tenha sido vitimado pelas guarnições da PM — disse o coronel André Silveira, comandante do 18º BPM.

Marcelo trabalhava numa marmoraria Foto: Reprodução



Fonte: Fonte: Jornal Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui