Justiça mantém prisão preventiva de suspeito de matar José Antônio Pase

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


O suspeito de matar José Antônio Pase, ex-prefeito de Campo Magro, cidade da região metropolitana de Curitiba (RMC), teve sua prisão preventiva mantida pela Justiça após ser ouvido em audiência de custódia. Diego de Jesus da Silva, conforme a fala que a reportagem da Banda B teve acesso na tarde desta segunda-feira (16), afirmou que os policiais militares que o prenderam em flagrante, o coagiram a confessar o crime. Ele, porém, não disse ser inocente do caso.

“Os policiais militares, na prisão, falaram que eu podia ficar até 100 anos preso, que era melhor confessar o caso. Eu peguei e confessei, com medo (…). Daí, eu confessei para os policiais militares, que me prenderam”, iniciou.

José Antônio Pase. Foto: Divulgação/Prefeitura de Campo Magro

Em seguida, o suspeito continuou a fala e comentou o que fez em seguida. “Falei tudo o que aconteceu, mas não foi nada de intenção de matar ele. Não queria ter feito isso”, disse.

Durante a audiência de custódia, os advogados de defesa questionaram o jovem sobre uma possível pressão ao ficar na delegacia. Sobre a pergunta, Diego disse:

“Eles me filmaram. Lá e aqui também (sic). Eles conversaram bastante comigo e entraram filmando. Gravaram duas vezes”, pontuou.

Ao ser questionado sobre em que momento os policiais militares teriam o coagido, o jovem afirmou que foi na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), local onde foi detido em flagrante.

A Polícia Civil segue investigando o caso.

Posicionamento da Polícia Militar (PM)

A Banda B entrou em contato com a Polícia Militar (PM) sobre a possível coação dos policiais. A reportagem será atualizada assim que obtivermos retorno.

Defesa do jovem

O espaço da Banda B está aberto para que os advogados de defesa se manifestem sobre a decisão da Justiça.





Fonte: Banda B