Justiça anula julgamento de advogado acusado de matar parentes do estilista Beto Neves e determina novo júri

0
85


Os desembargadores da Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio decidiram anular o julgamento do advogado Michel Salim Saud e determinar a realização de um novo júri. Saud foi absolvido, em julho do ano passado, da acusação de ter planejado e contratado os autores dos assassinatos de Linete Loback Neves e Manuella Neves da Camara Coutinho Boueri, mãe e sobrinha do estilista Beto Neves, e de Rafany Pinheiro Ricardo, namorado de Manuella. Com isso, Saud irá a um novo julgamento.

As vítimas: Manuella com a avó Linete (ao centro) e o noivo, Rafany Foto: Reprodução / Facebook

A decisão unânime dos magistrados foi tomada na última terça-feira, dia 15. A relatora do recurso que pedia a anulação do júri de 2019 foi a desembargadora Suimei Meira Cavalieri. Os desembargadores não marcaram uma nova data para o julgamento.

Beto Neves afirmou que, com a decisão, sente que a justiça está sendo feita.

Beto Neves lamenta a morte dos familiares
Beto Neves lamenta a morte dos familiares Foto: Roberto Moreyra (EXTRA)

— Fiquei muito decepcionado com o julgamento, em julho do ano passado. Eu não esperava aquela decisão, mas o advogado dele conseguiu confundir os jurados. A decisão foi injusta, mas me conformei, porque tinha sido a decisão dos jurados. Hoje, para minha surpresa, soube que o julgamento tinha sido anulado por unanimidade. Não vou dizer que fiquei feliz porque a perda já aconteceu. Mas é um sentimento de justiça sendo feita. E espero que sirva de exemplo para outras pessoas não fazerem o mesmo. Fiquei feliz sim, mas de ver que a justiça existe e pode ser feita. Quero que ele pague pelo que ele fez — disse o estilista.

O crime

Em 27 de agosto de 2013, Manuella Neves, de 22 anos, seu namorado Rafany Pinheiro, de 23, e sua avó Linete Loback Neves, de 69 anos, foram mortos com vários tiros à queima-roupa dentro de casa. Não houve indício de roubo. Um mês e meio após os homicídios, a Polícia Civil chegou ao segurança de Michel, Romero Gil da Rocha, e Pablo Jorge Medeiros. Ambos afirmaram ter recebido R$ 100 mil reais de Michel pra cometerem os crimes.

Michel Salim foi casado durante sete anos com Rosilene Neves, filha e mãe de Linete e Manuella. O casal estava separado há cinco anos.

Romero Gil da Rocha e Pablo Jorge Medeiros, apontados como autores do assasssinato, foram condenados a 57 anos de prisão cada um, regime inicial fechado. A decisão no Tribunal de Justiça foi por júri especializado, em 18 de maio de 2016. Eles teriam matado a tiros Linete, Manuella e Rafany.

Segundo a polícia informou na época, cada vítima foi baleada duas vezes. Manuella levou tiros no queixo, de baixo para cima, e no olho direito. Os ferimentos de Rafany foram no supercílio e no pescoço. Já Linete levou tiros no peito e ao lado da boca. Os disparos feitos contra Rafany e Linete foram a curta distância. Já Manuella levou tiros a queima-roupa.



Fonte: Fonte: Jornal Extra