Jovem que convocou evento para espalhar coronavírus diz que tudo não passou de “brincadeira”


O jovem suspeito de organizar um evento convocando para propagação do novo coronavírus, no Centro de Curitiba, foi identificado pela Polícia Civil. Jonatas Fontoura, de 24 anos, foi ouvido na manhã desta quarta-feira (18) e autuado por infringir lei destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa.

O delegado do 1º Distrito Policial, Danilo Zarlenga, explicou que a polícia chegou até o jovem por meio de um trabalho de investigação. A ação apurou suspeitas de vandalismo no local em que o evento teria sido marcado. “Uma informação chegou à Guarda Municipal relatando que um rapaz estaria fazendo um evento nas redes sociais para se encontrar no Largo da Ordem e propagar o coronavírus. A gente conseguiu localizá-lo e ouvi-lo na manhã desta terça (18)”, comentou.

O encontro estava marcado para a próxima sexta-feira (20) e 15 pessoas haviam confirmado presença. Em depoimento, o suspeito disse que não está contaminado pelo vírus e que tudo não passou de uma brincadeira.

Em entrevista coletiva, Jonatas pediu desculpas pelo transtorno causado. “Eu trabalho com stand-up, com comédia, tudo não se passou de um mal entendido. Eu não tinha nenhuma intenção de promover algum evento como esse. As pessoas que estavam à minha volta sabiam que foi apenas uma brincadeira, uma piada. Acabou que teve uma repercussão que eu não esperava”, garantiu.

Segundo o jovem, a maior parte das pessoas entendeu o evento como algo humorístico, mas, ainda sim, ele recebeu ameças de internautas pelo ato de mal gosto. “O intuito que eu uso as minhas redes sociais é justamente para fazer piadas. As pessoas não precisam se preocupar, porque não haverá um evento assim”, disse.

 

 

O secretário de Defesa Social e Trânsito de Curitiba, Guilherme Rangel, afirmou em entrevista à Banda B que a prefeitura recebeu a situação com “péssimos olhos”.

A Prefeitura de Curitiba orienta para que todos evitem a aglomeração de pessoas em tempos como este. O secretário lembrou ainda do decreto que proíbe a reunião de com mais de 50 pessoas num mesmo espaço. “A gente pede bom senso. A pessoa tem que pensar na saúde dela, dos seus familiares e amigos. A própria pessoa tem que ter uma preocupação com ela e com as pessoas próximas dela. Isto é fundamental para evitar a propagação do vírus”, explicou.

O secretário pediu ainda que a população denuncie caso se depare com situações parecidas como esta. “O Brasil inteiro está se esforçando para garantir a saúde e o bem-estar das pessoas. Daí, vem uma conduta dessa, que além de crime, é totalmente reprovável e imoral. Nós estamos lutando para o bem-estar das pessoas de bem. Não tem cabimento uma pessoa tentar propagar um vírus, ainda que esta pessoa possa não o ter”, comentou.

Jonatan foi enquadrado no artigo 268 do Código Penal e pode pegar uma pena que varia entre 1 mês e 1 ano.

As investigações da Polícia Civil continuam, com o objetivo de identificar mais pessoas envolvidas com o fato. Todas elas poderão responder criminalmente por infringir a lei destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa.

Para fazer a denúncia você pode entrar em contato com o Poder Público por meio dos números da Guarda Municipal, o 153; o da Polícia Militar, 190; e o Disk Denúncia, 181.

 



Fonte: Banda B