Jovem atingido em tiroteio na madrugada é encontrado morto em avenida de Curitiba

0
23


Baleado durante tiroteio na madrugada, um jovem foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (18) na Avenida da República, no bairro Parolin, em Curitiba. Segundo a polícia, a vítima estava com outras duas pessoas que foram baleadas por traficantes na Rua Lamenha Lins, durante a madrugada. Além desta vítima fatal, um dos baleados já tinha sido encontrado com vida, em um posto de combustíveis no bairro Bacacheri. O terceiro, por sua vez, segue desaparecido.

O local onde foi encontrado o corpo do jovem no Parolin. Foto: Djalma Malaquias/Banda B

À Banda B, o delegado Tito Lívio Barrichelo, da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), explicou que o jovem não foi morto no local.

“Ele morreu a tiros, aparentemente, de pistola. Só que a morte não ocorreu aqui. Pelo o que nós verificamos, o corpo foi trazido para cá. O corpo tem sinais de esganadura, uma marca no pescoço, a vítima perdeu os sentidos e foi executada”, iniciou.

Durante a madrugada, a polícia recebeu a informação de uma intensa troca de tiros entre criminosos em um beco do Parolin. Testemunhas informaram sobre três pessoas baleadas, mas, naquele momento, ninguém tinha sido localizado (vítimas e atiradores).

Porém, pouco tempo depois, o Siate do Corpo de Bombeiros foi acionado para atender uma vítima por ferimentos de arma de fogo no Bacacheri. Uma das vítimas tinha sido localizada e levada ao Hospital Cajuru.

O local onde aconteceu a troca de tiros. Foto: Cristiano Vaz

Ciente da situação, Barrichello explicou que pretende ouvi-lo para descobrir mais informações que levem ao encontro dos atiradores.

“Estamos indo para lá ouvi-lo, agora. Temos uma outra pessoa que temos a informação também que está em determinado local, que não sofreu ferimentos, mas que estaria junto. A investigação está caminhando, estamos instaurando o inquérito neste momento e vamos dar um retorno muito rápido para a sociedade para colocar estes criminosos na cadeia”, completou o delegado.

Acusação

A família da vítima, após notar o desaparecimento do jovem, registrou um Boletim de Ocorrência (BO) sobre a situação. Alguns deles estiveram no local onde foi encontrado o corpo.

Emocionada, a mãe da vítima desabafou sobre a morte, e comentou que o caso teria acontecido por conta do seu carro. “Um desses traficantes roubou meu carro, porém, meu filho, viu o automóvel, pegou ele de novo e disse que não ia devolver. Mas a gente tentou conversar com ele, dissemos que ia resolver. Meu filho é usuário de drogas, ele veio até aqui por isso. Acho que o seguiram e fizeram os disparos”, pontuou a mulher.

A respeito da situação, Barrichelo ressaltou que qualquer fato será revelado com o andamento do inquérito policial que será instaurado pela DHPP.

“É uma situação muito recente. Vamos ouvir as testemunhas na delegacia para fazer justiça. Já temos nesse momento dois investigados que são criminosos e perigosos. Temos que correr contra o tempo, formar o conjunto de provas para pedir a prisão temporária ou até o flagrante, se conseguirmos”, relembrou.

A mulher pede por justiça. “Eu fiquei meio em choque. Nós fomos no hospital e descobrimos que o amigo dele estava lá. O outro conseguiu fugir. Horas antes, estes rapazes já tinham ameaçado meu filho de morte (…). Tentei resolver toda a situação, mas, infelizmente, foi tarde de mais. Espero que o autor vá para trás das grades”, finalizou.

O Instituto Médico Legal (IML) recolheu o corpo da vítima. Caso você tenha informações sobre o caso, entre em contato pelo número 0800 643 1121. As denúncias podem ser anônimas.

Vídeo

O repórter Djalma Malaquias esteve no local e acompanhou o trabalho da polícia.





Fonte: Banda B