Homem que torturou jornalista por três dias é indiciado por maltratar pitbull com soco-inglês

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Após ser indiciado por tentativa de feminicídio, estupro, cárcere privado e tortura, Fred Henrique Lima Moreira também irá responder por maus-tratos a animais. De acordo com investigações da 12ª DP (Copacabana), ele mantinha um pitbull fêmea, de 9 meses, sem alimentação e hidratação adequadas, e ainda o agredia com um soco-inglês — um dos instrumentos que utilizou para provocar traumatismo craniano, fratura na mandíbula, além de diversos hematomas no corpo de jornalista Luka Dias, de 37 anos, há cerca de dez dias.

Presa por três dias: ‘Sou uma sobrevivente’, diz jornalista torturada por namorado com soco-inglês em Copacabana

‘Vivi para contar’: ‘Foram os piores dias da minha vida’, conta jornalista torturada por namorado

Segundo um laudo assinado pela veterinária Denise Felske, do Programa Bicho Rio, da Secretaria municipal de Proteção e Defesa dos Animais, as lesões apresentadas na pele da pitbull são sugestivas de escabiose, conhecida popularmente como sarna, uma doença infecciosa, causada por ácaro e provoca coceira. A profissional solicitou um raio-x do crânio para avaliação e exames de sangue. O animal já foi adotado por um policial militar.

— Desde o início do nosso relacionamento, percebi a agressividade do Fred com a cachorra. Ele maltratava a Pitty, batia de soco-inglês nela e dizia que ela não sentia nada. Naquela época, há cerca de oito meses, o animal já tinha uma cicatriz na cabeça e demonstrava muito medo dele — relatou Luka Dias ao EXTRA.

A jornalista Luka Dias, que foi agredida pelo namorado, Fred Henrique Lima Moreira, em Copacabana, com hematomas pelo rosto e corpo. Foto: Fabio Rossi / Agência O Globo

De acordo com a delegada Natacha Alves de Oliveira, titular da 12ª DP, a jornalista mantinha um relacionamento com Fred desde agosto, período em que ele já demonstrara um perfil violento e manipulador. Ele chegou a agredi-la em 31 de dezembro do ano passado e no dia 26 de abril, ocasião em que começou a ofendê-la com acusações de infidelidade e depois passou a golpeá-la com cassetete nas pernas, nas costas e na cabeça, dentro de seu apartamento, na Rua Barata Ribeiro, em Copacabana, na Zona Sul do Rio.

Na manhã seguinte, ao acordar, a vítima tentou gritar por socorro e acabou por receber um mata-leão por pelo menos três vezes. Fred ainda puxou o cabelo da namorada e arremessou no solo, dando golpes em sua cabeça até a mulher desmaiar. Em 29 de abril, três dias depois do início das agressões, ela conseguiu deixar o apartamento e procurar a delegacia. No imóvel, além do soco-inglês e do cassetete, foi apreendido uma réplica de pistola.

Contra Fred Henrique Lima Moreira foi cumprido um mandado de prisão temporária. Em sua ficha criminal, já havia anotações por violência doméstica, tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte ilegal de arma de fogo, ameaça e resistência. Ele foi encaminhado ao sistema penitenciário e, na última quinta-feira, dia 5, passou por uma audiência de custódia em que o juiz Pedro Ivo Martins Caruso D’Ippolito o manteve preso.

No apartamento de Fred Henrique Lima Moreira, foram apreendidos um cassetete, um soco-inglês e um réplica de pistola
No apartamento de Fred Henrique Lima Moreira, foram apreendidos um cassetete, um soco-inglês e um réplica de pistola Foto: Reprodução

De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), em 2020, a cada dois dias, um animal foi vítima de um crime. No total, foram feitos 193 registros nas delegacias do estado do Rio nesse ano. Em primeiro lugar, os cachorros foram os que mais sofreram maus tratos, sendo citados 117 vezes nos registros de ocorrência. Em seguida estão os gatos, com 35 citações, e as aves, com 29. No total de casos registrados, 63% dos crimes aconteceram em residências.



Fonte: Fonte: Jornal Extra