Homem é sequestrado, colocado no porta-malas de carro e assassinado em Curitiba; hipótese de “tribunal do crime”

0
14


Um homem foi sequestrado, colocado no porta-malas de um carro e morto, na madrugada desta quarta-feira (2), no bairro Caximba, em Curitiba. Os quatro ocupantes do veículo Palio levaram a vítima até final da Estrada Bruno de Almeida, nas proximidades do Rio Iguaçu, onde o homem foi morto.

A polícia trabalho com a hipótese de homem tenha sido vítima de “tribunal do crime”, quando uma pessoa transgride a uma norma de uma facção criminosa e os próprios criminosos fazem o “julgamento” e a “condenação” do acusado.

De acordo com a primeiras informações, o homem morto seria pertencente a uma facção criminosa, o Comando Vermelho, liderada no Rio de Janeiro.

Houve o confronto com os quatro e depois, quando foi feita a varredura, vimos que havia um quinto elemento, já alvejado no local que provavelmente já se configura que era início da ocorrência e que talvez se tratava de um tribunal do crime”, descreveu o capitão Hoinatski, Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

Após o crime, os quatro voltaram para veículo Palio e se esconderam em uma região de mata de uma chácara, quando foram surpreendidos pela chegada dos policiais do Bope.

De acordo com os policiais, o Bope foi recebido pelos suspeitos com tiros e houve um confronto e em que os quatro acabaram mortos. Nenhum policial ficou ferido. O caso será investigado pela polícia.

Local em que houve o confronto com policiais do Bope. Foto: Colaboração

Os quatro, que levaram a vítima ao local, podem pertencer ao Primeiro Comando da Capital (PCC), criada nos presídios de São Paulo.O capitão disse que há possibilidade de ser uma briga de facções, mas ainda não é possível dizer quais seriam elas.

“Provavelmente caracteriza uma briga de facções, mas por enquanto não podemos afirmar de quais facções se tratam porque a identificação das pessoas ficou prejudicada”, disse.

Vídeo: veja o local onde houve o confronto em que os cinco foram mortos





Fonte: Banda B