Filho de idosa assassinada em Colombo acredita que mãe foi morta por vingança; “Ela foi surpreendida”

0
12


O filho da idosa Assinira Rodrigues da Costa, de 68 anos, encontrada morta com sinais de agressões dentro da casa incinerada, disse que acredita em vingança como motivo da morte da mãe. O caso aconteceu em Colombo, na região metropolitana de Curitiba (RMC), no bairro Guaraituba, no sábado (22). Pelo menos, cinco residências foram atingidas na região.

O professor José Ricardo Veiga – filho de Alssinira – contou à Banda B que na hora do fogo, os vizinhos estavam com dificuldade para entrar na casa e coube a ele entrar para resgatar a mãe.

“Eu estava em casa, um vizinho da minha mãe avisou que estava pegando fogo ali. Eles chamavam minha mãe e não conseguiam. Cheguei no local e ela fechava muito bem tudo, tinha só uma entrada pela frente, era muito difícil de entrar. Eu sabia como fazer para ter acesso, ninguém conseguiu entrar ali. O fogo estava muito alto lá no fundo, acima do teto. Eu entrei no corredor e tudo que eu queria era resgatar minha mãe. Naquele momento, eu achava que ela estava desmaiada”.


Conta José Ricardo à Banda B.

Assinira Rodrigues da Costa, de 68 anos, foi morta em Colombo. Foto: Reprodução.

Sobre a invasão na casa, Ricardo Veiga acredita que a idosa foi assassinada no próprio quarto. “Eu acredito que ela tenha sido golpeada ali mesmo, no quarto dela. Ela foi surpreendida, inclusive. Ainda mais que teve uma tempestade. Eles podem ter usado esse momento para poder invadir o barraco pelo fundo”, explicou. “Minha mãe trabalhava muito. Sempre fazendo alguma coisa. Esse material ela acumulou durante muito tempo”, completou.

Questionado sobre a motivação, o filho da idosa comentou que acredita que seja uma vingança, já que o barracão era constantemente furtado.

“Acredito que seja vingança, pois não era simplesmente um barracão de reciclável, tinha estoque de loja, embora as pessoas não soubessem ali tudo. Havia maquinários ali também. Quem entrava ali era ‘nóia’, aconteciam pequenos furtos ali”.

Explicou José Ricardo Veiga.

Alssinira era uma pessoa conhecida na comunidade. Ela trabalhava com recicláveis e tinha um barracão com material acumulado pela idosa ao longo do tempo. Os bombeiros não descartam a possibilidade do fogo ter feito mais vítimas.





Fonte: Banda B