Família de Renata Muggiati vai pedir cassação do registro de médico de Raphael Suss Marques

0
14


A família da fisiculturista Renata Muggiati vai pedir ao Conselho Regional de Medicina (CRM) do Paraná a cassação do registro profissional de Raphael Suss Marques, que é acusado criminalmente pela morte dela. O anúncio foi feito em entrevista coletiva concedida na tarde desta quinta-feira (14).

A irmã de Renata, Thereza Christina Gabriel, falou sobre o pedido (Foto: Marcelo Borges – Banda B)

De acordo com a irmã de Renata, Thereza Christina Gabriel, áudios da vítima comprovam a má conduta profissional de Raphael. “Nós temos áudio da Renata dizendo que recebia aplicação de vacina dormindo. Eu não conheço uma pessoa que aceite ser atendida por um médico que espancava a namorada, que dopava ela, que acabou com o corpo dela. Ele usou artifícios e tinha um cachorrinho em casa, se utilizando do conhecimento médico para ter acesso a drogas. Um bom médico para mim não faz isso e não mata. Um bom médico cumpre o juramento de salvar vidas”, afirma.

Renata Muggiati morreu no dia 12 de setembro de 2015. Ela estava no 31º andar de um prédio no Centro de Curitiba. Suss Marques é acusado de asfixiar e depois jogar o corpo da fisiculturista pela janela do apartamento.

Assistência de acusação falou sobre pedido contra Raphael (Foto: Marcelo Borges – Banda B)

Especialisa em direito da saúde, o advogado Silvio Guidi garante que os elementos apontam para a cassação. “Com a instrução do processo, ficou demonstrado que Raphael criou não só uma ligação de namorado, como uma de médico/paciente. A partir disso, praticou uma série de abusos com base em conhecimento técnico de médico. Vamos, então, levar tudo isso ao conselho, uma vez que os elementos de responsabilidade são gravíssimos para a denúncia”, diz.

Dominação

Para o advogado da família de Renata, todo o ocorrido configura “dominação”. “Raphael se alavancou nessa belíssima profissão, que é a medicina, para fazer mal e cumprir o intento criminoso. Não podemos confundir a realidade do processo ético com o criminal, mas não há duvidas de nossa parte da total falta de ética praticada por essa pessoa”, descreve.

Defesa

O advogado Edson Abdala, que defende Suss, foi procurado pela reportagem. Ele disse que processo está sob sigilo e não há qualquer prova que sustente a versão apontada pela assistência de acusação.





Fonte: Banda B